DILMA assina DECRETO que confirma que no Exercito existirão 152 GENERAIS em “atividade”

maisi vagas para generais DILMA assina DECRETO que confirma que no EB existirão 152 GENERAIS em “atividade”

No exército brasileiro agora são cerca de 1.400 militares para cada general. O número de oficiais “estrelados” – considerados políticos por alguns militares – vem crescendo ao longo dos últimos anos. Em Israel, um país que vive conflitos ininterruptos, a proporção é de cerca de 9 mil militares para cada general.

  Esse número exagerado de oficiais generais parece ser uma herança lusa, há alguns anos foi amplamente divulgada uma crítica norte americana às forças armadas portuguesas. O embaixador americano à época solicitou os serviços de uma banda militar para um evento oficial, a questão se estendeu muito e para o americano ficou evidente que os oficiais portugueses tinham verdadeiro TERROR de TOMAR DECISÕES IMPORTANTES.

O EMBAIXADOR americano conta como um pedido simples, que nos EUA seria resolvido por um sargento ou oficial subalterno, em Portugal chegou até o Chefe do Estado Maior do Exército.

“Pedimos ao comandante da academia militar portuguesa se a banda da academia podia atuar numa receção da embaixada americana. O assunto chegou até em ao general de duas estrelas que respondeu que isso teria de ser aprovado pelo chefe do Estado-Maior do Exército”.!

O embaixador americano então enviou um telegrama para Washington, o título era: “O que há de errado com o Ministério da Defesa português?”. Lembramos que como membros da OTAN, as forças armadas portuguesas são assunto pertinente para os norte-americanos.

Vejam alguns trechos do documento escrito pelo embaixador Thomas Stephenson há dois anos e avaliem se também poderia se encaixar em nossa realidade.

Artigo de http://sociedademilitar.com

“… é uma estrutura “rígida” e incapaz de tomar decisões. A imagem de generais sentados sem fazerem nada não é uma mera alegoria.”

“…Os militares têm uma cultura de statu quo em que as posições-chave são preenchidas por carreiristas que evitam entrar em controvérsias, em vez de serem preenchidas com pensadores criativos, promovidos pelo seu desempenho”,

“Espera o tempo suficiente, dizem-nos os oficiais, e chegarás a coronel ou a general. Esta cultura fomenta um pensamento adverso a correr riscos e um corpo de oficiais superiores para quem adiar uma decisão é quase sempre a melhor decisão”

 No documento o embaixador ainda critica o número exagerado de oficiais generais, cerca de um para cada 250 soldados, e diz ainda que há 170 generais “adicionais” para serem usados em tempo de guerra, eles se mantém inativos, mas recebem salário.

Revista Sociedade Militar

 


 

DECRETO Nº 8.574, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2015

  Altera o Anexo ao Decreto nº 8.399, de 4 de fevereiro de 2015, que distribui o efetivo de pessoal militar do Exército em tempo de paz para 2015.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 84, caput, incisos IV e VI, alínea “a”, da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 1o e no art. 2º da Lei nº 7.150, de 1º de dezembro de 1983, e no art. 1o da Lei nº 8.071, de 17 de julho de 1990,

DECRETA:  Art. 1º  O Anexo ao Decreto nº 8.399, de 4 de fevereiro de 2015, passa a vigorar na forma do Anexo a este Decreto.   Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 24 de novembro de 2015; 194º da Independência e 127º da República.

DILMA ROUSSEFF  /   Aldo Rebelo

Este texto não substitui o publicado no DOU de 25.11.2015

ANEXO

“I – OFICIAIS-GENERAIS

POSTO COMBATENTE DOS SERVIÇOS ENGENHEIRO MILITAR SOMA
INTENDENTE MÉDICO
General de Exército 15 15
General de Divisão 37 3 2 4 46
General de Brigada 71 8 5 7 91
SOMA 123 11 7 11 152

 Revista Sociedade Militar

Share Button

Comentários