Sargento do EXÉRCITO assassinado no RIO

O militar do Exército Manoel VITOR foi assassinado nesse domingo.

Seu carro foi alvejado por vários disparos. Algumas postagens de facebook dizem que o militar foi morto porque tentou furar uma barreira de marginais, ou porque teria reagido. Sua namorada também foi alvejada e está hospitalizada.

Se ele reagiu, tentou fugir ou ficou imóvel nenhuma dessas atitudes justifica o assassinato. Não há qualquer justificativa para que um homem honesto seja morto assim como não há mais justificativa para que no RIO DE JANEIRO não seja decretada uma intervenção federal.

O que é preciso para realizar uma operação conjunta em larga escala no RIO que seja mantida até que se acabe com a marginalidade?

Se for preciso que morram 10 pessoas então venham, já aconteceu. Se for preciso 100 pessoas, venham, já aconteceu. Se for preciso que morram 1000 pessoas então venham, já aconteceu…

Quantos precisam morrer para que alguém se levante da cadeira?

No RIO de JANEIRO crianças são vitimadas por “balas perdidas” ainda antes de nascer. Há muitos locais onde é proibido o trânsito para a sociedade honesta. Ocorre um roubo de caminhão por hora e o material roubado é vendido a luz do dia em feiras livres, esquinas e transporte público. Marginais andam armados ao lado de muros de quarteis enquanto os sentinelas apenas olhamCondomínios fazem festas anuais para comunidades para evitar que marginais-meninos pulem seus muros. Milhares de casas em favelas usam energia elétrica e água sem pagar porque os medidores não podem entrar no local. Supermercados “doam” compulsoriamente caixas de bebida para as festas dos chefes do tráfico e o comércio tem o horário regido pelas ordens dos traficantes.

Isso tudo é normal?

O que é preciso mais ocorrer para que alguém tome a decisão de solucionar o problema?  A DECISÃO não é POLÍTICA. A decisão é TÉCNICA, precisa ser tomada por um TÉCNICO, um profissional da SEGURANÇA ou do JUDICIÁRIO, jamais por um político.

É preciso que seja decretado um estado de exceção com normas diferenciadas que não impeçam as autoridades de agir. Se é guerra as normas devem ser de acordo com a situação.

Em qualquer lugar do planeta a sociedade teria exigido que políticos locais e autoridades que gerenciam a segurança sejam DEMITIDOS. Mas aqui se age como se a morte de inocentes fosse algo normal, irrelevante, irrisória. Como se seu filho não pudesse ser o próximo a ser assassinado.

Grande perda

Em tempos não tão distantes o Exército faria uma operação gigantesca no local em busca dos marginais que assassinaram o sargento. 

Nossos sentimentos e pêsames em relação a esse jovem honrado.

Mais um que foi ceifado pelo descaso e falta de atitude de marginais de colarinho branco que somente trafegam pela cidade em seus carros blindados e cercados por seguranças armados.

Revista Sociedade Militar

Share Button

Comentários