General venezuelano foge para os EUA e pede AJUDA para a ONU

general-rivero desertos2General PROCURADO pelo governo de MADURO revela a Jornal ESPANHOL que ha 20 mil militares cubanos já preparados para lutar em prol do governo venezuelano.

O chavismo por um fio. Mais um militar “aparece” nos Estados Unidos dando declarações “reveladoras” em relação ao governo venezuelano. 

O general Antonio Rivero, que passou 11 meses na clandestinidade, escapando da busca realizada por autoridades venezuelanas, acaba de pedir a proteção da ONU. Em Nova York ele disse que CUBA seria a principal ameaça para um golpe contra Nicolás Maduro, com seus jovens revolucionários treinados na ilha caribenha

O ex-general e opositor venezuelano Antonio Rivero , que possui um mandado de prisão expedido pelo governo de Nicolas Maduro , relata que há cerca de 20.000 cubanos na Venezuela treinados para combater uma possível “levante militar contra Chávez.” Em uma entrevista publicada sexta-feira pelo jornal norte-americano “El Nuevo Herald” , Rivero afirmou que quase 20% dos 100.000 cubanos que estão na Venezuela “foram treinados para a guerra “e estão no país para” garantir os interesses de Havana “se as seções das Forças Armadas Bolivarianas pegarem em armas contra o governo.

O militar venezuelano se apresentou na quinta-feira passada para pedir proteção internacional na sede da ONU em Nova York. Ele também pediu ao organismo internacional para decidir em favor de presos políticos na Venezuela.

Em relação com os cubanos presentes na Venezuela, o ex-general disse que “20% desse total é pessoal treinado como milícia, como combatentes, e eles vão, basicamente, fazer o trabalho de controle daqueles cubanos que foram obrigados a ir para Venezuela. ” Rivero acusou o regime do falecido presidente venezuelano , Hugo Chávez,  de facilitar a penetração de cubanos. No ano passado, o atual presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, ordenou sua prisão.

rivero0_22-13-58_No-00Rivero fala à imprensa em frente à sede da ONU.

As denúncias de Rivero e de Leamsy Salazar agregam material à suspeitas antigas de que cubanos seriam direcionados contra a própria vontade para trabalhar como médicos em países como o Brasil e Venezuela. O pior é que vários desses “médicos” seriam na verdade agentes infiltrados por cuba para exercer vigilância de seus compatriotas em solo estrangeiro, impedindo deserções e declarações que comprometam Cuba e outros membros do Foro de São Paulo.

As denúncias de Salazar são gravíssimas, e colocam os governos cubano e venezuelano, dois membros do Foro de São Paulo, como operadores de um cartel de tráfico de drogas. Apesar da noticia ter sido divulgada por jornais de todo o planeta, como o Dailymail e Elmundo, a imprensa brasileira inexplicavelmente continua calada! Por aqui não se dá um “pio” relacionado a tudo que ocorre em na Venezuela.

O general Rivero disse ainda que militares cubanos aos poucos foram assumindo o controle de setores importantes das forças armadas venezuelanas. “Cuba tem conhecimento do funcionamento e localização dos sistemas de defesa da Venezuela, assim como a gestão dos planos de segurança e defesa.

http://sociedademilitar.com.br