Geopolítica / Religião.

VENEZUELA escolhe a “dedo” uma delegação BRASILEIRA para atestar que no país de Chaves e Maduro não há afronta a direitos humanos.


Capilé com DilmaTodos os brasileiros acompanharam com indignação o que aconteceu nessa quinta-feira na Venezuela.

Quando delegações estrangeiras são atacadas e impedidas de visitar presos políticos é sinal de que as coisas estão bem piores do que parece. Se fazem isso com autoridades estrangeiras, imaginamos o que fazem com qualquer cidadão local que ouse se opor a ditadura comuno – bolivariana de Nicolás Maduro.

Para qualquer um que conheça minimamente segurança pública e técnicas de escolta e batedor, está obvio que ocorreu sabotagem. Escoltas são preparadas para conduzir comboios em fluxo, contrafluxo, caminhos alternativos etc. A polícia de maduro com toda a certeza tinha mesmo o objetivo de impedir a visita dos políticos brasileiros.

Essa semana, após a decisão de alguns senadores de visitar a Venezuela, que atenderiam a pedidos de esposas de presos políticos e da deputada Maria Corina, o governo de Nícolas Maduro decidiu fazer uma espécie de contraposição, convidando uma delegação de políticos para ir ao país, os convidados são “intelectuais” e ativistas brasileiros, todos ligados a esquerda.

Entre os membros desta comitiva brasileira, que vai com o intuito obvio de trazer uma visão diferente da que seria apresentada pelos senadores – se lhes fosse permitido ver alguma coisa – estão o escritor Fernando Morais, vários professores universitários e membros de sindicatos e centrais sindicais. Também foram convidados o Senador do PT Linderberg Farias; o coordenador do MST (Movimento dos Sem Terra) Pedro Stédile e o produtor cultural Pablo Capilé.

Mas, já que os Senadores brasileiros não conseguiram ver nada, o SENADO resolveu aprovar a ida de mais gente, um outro grupo de senadores. Essa nova equipe de “vistoriadores”, mesmo sendo formada por políticos de partidos aliados, como PCdoB e PSOL, se diz com verdadeira isenção de ânimo e imparcialidade.

Com isso, pode ser que nos próximos dias boa parte dos políticos e auto-proclamados intelectuais de esquerda estejam passeando lá pela Venezuela. Afinal, são dois grupos, um a convite e outro “enviado” pelo Senado.

Ficamos aqui a perguntar: será que eles acham que os brasileiros são idiotas? Infelizmente parece que sim.

A nova comissão, que pediu pra ir à Venezuela, e que provavelmente será muito bem tratada por lá, será composta pelos senadores Roberto Requião (PMDB-PR), Lindbergh Farias (PT-RJ), Lídice da Mata (PSB-BA), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). No requerimento de criação dessa comissão, os voluntários alegam que o outro grupo que foi hostilizado pelos venezuelanos “não atende às exigências de isenção e imparcialidade que a gravidade do momento delicado requerem”.

Lembrando que Lindbergh já havia sido convidado para fazer parte da Comissão de Políticos e Intelectuais citada no início desse texto.

Quanta hipocrisia! Contudo, quem sai ganhando com essa história é a oposição brasileira e venezuelana. A dificuldade, re-atestada agora, para se visitar presos políticos endossa a tese de que ha realmente muitas coisas erradas acontecendo na Venezuela, cujo líder é apadrinhado por Dilma Roussef. Um ponto a menos para o PT.

A ida de políticos e pseudo-intelectuais de esquerda até lá vai ser reconhecida como apenas mais uma idiotice da parte desses dois governecos de esquerda. Outro ponto a menos para o PT.

E assim esse governo vai perdendo pontos, logo vai cair.

Informações de Agencia Venezuelana de Notícias, Portal Vermelho e Senado

4 Comments

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top