Articulistas

PRESTES A ATINGIR O CONSENSO. “a manifestação enquadra-se, perfeitamente, como um passo a mais na até aqui bem sucedida revolução cultural e reforma intelectual e moral para superar a cultura ocidental cristã”

PRESTES A ATINGIR O CONSENSO

            Pessoas que transitaram próximo ao Cemitério Protestante de Roma, localizado na Via Caio Cestio, 6 afirmam ter sentido um leve tremor de terra. Consta que Antonio Gramsci se sacudiu de satisfação na sua última morada. Ao mesmo tempo, em Resende, no sul do Estado do Rio de Janeiro, um desconcertante vento frio oriundo nas altitudes do planalto de Itatiaia levantou uma poeira de cinzas numa área de instrução da Academia Militar das Agulhas Negras. Consta que foi a indignação do General Sérgio Coutinho, um dos estudiosos da obra de Gramsci no Brasil.

            A razão destas manifestações, eu não creio, mas que elas ocorreram lá isto é verdade, foi a onda de quase consenso que se espalhou por boa parte do mundo ocidental cristão, desde sexta-feira próxima passada, quando a Suprema Corte dos EUA concordou com a demanda de um cidadão pelo reconhecimento de uma união homossexual que possuíra. A notícia difundida “urbi et orbi” coube ao próprio presidente dos EUA, ligando para o cidadão que havia impetrado a querela jurídica.

            A minha surpresa, como cidadão, deu-se quando, talvez incentivados por um aplicativo oportunista, muitas pessoas das minhas relações começaram a postar em redes sociais fotografias coloridas com as cores representativas do movimento LGBT.

            Por trás de uma aparente mera concordância com uma medida jurídico-administrativa tomada para decidir sobre um contrato entre duas pessoas, a manifestação enquadra-se, perfeitamente, como um passo a mais na até aqui bem sucedida revolução cultural e reforma intelectual e moral para superar a cultura ocidental cristã.

            A turma da Escola de Frankfurt, lá no longínquo ano de 1923, logo refugiada nos EUA, estabeleceu as bases críticas do esquerdismo para a revolução cultural que se espalharia por todo o mundo.

            Poucos anos depois Gramsci, com a reforma intelectual e moral, contribuiria para ampliar o desiderato anteriormente proposto para atingir uma nova era e uma nova cultura através do hedonismo, da desconstrução da família e do laicismo com vários efeitos sociais perversos facilmente perceptíveis nas sociedades contemporâneas.

            Seria preciso, através delas, atingir o senso comum e aprisionar a sociedade numa prisão sem grades onde o patrulhamento ideológico do politicamente correto busca manter todos nós e assim atingir o consenso.

            Eu tinha a impressão que estávamos avançando nessa direção lentamente, mas este episódio que relatei de maneira simples e direta, me fez sentir que precisamos agir mais eficazmente para evitarmos a derrocada final da sociedade ocidental cristã. Temos que reagir nas escolas de todos os níveis, na cultura, na imprensa em geral, enfim, em todos os setores capazes de influir e influenciar a reação. Vão nos acusar de conservadores, não tenham dúvidas quanto a isso, mas este é o padrão esperado.   

            Para aqueles que pretendem se aprofundar um pouco no tema, basta consultar algumas obras básicas sobre o assunto para entendê-lo melhor.

            Eu sugiro a leitura do livro Cenas da Nova Ordem Mundial de autoria do General Sérgio Augusto de Avellar Coutinho editado pela Biblioteca do Exército em 2010. Vali-me dele para escrever estas poucas linhas.

Marco Antonio Esteves Balbi

1 Comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top