Militares insatisfeitos e sem representação não tem como reivindicar reajuste.

Nos últimos dias em sites de clubes militares, revistas militares online e redes sociais tem surgido vários textos bem articulados direcionados a parlamentares e outras autoridades.

Militares de varias posições e até alguns no último posto das carreiras – generais – tem se queixado bastante do tratamento recebido por parte do governo federal, que concedeu um reajuste salarial bem abaixo das perdas inflacionárias de 2015. Contudo, sem associações de classe e representantes no Congresso Nacional os militares das Forças Armadas dificilmente terão como pressionar com eficácia o executivo federal.

Em documento publicado essa semana pelo CLUBE NAVAL, um coronel questiona o reajuste.

Pergunta-se: Desde quando um reajuste de 5,5% compensará a inflação de 10,53% ocorrida em 2015, à qual, forçosamente, teremos que somar a inflação superior a 5,5% que ocorrerá nos sete primeiros meses de 2016? E o que dizer sobre a inflação até o final do ano, porquanto o reajuste seguinte só ocorrerá em 1º jan 2017?.

A concessão do reajuste em quatro parcelas é um artifício do qual se vale o governo para se esquivar de rediscutir a matéria ano a ano como determina a Constituição (art. 37, X).

hoje contam-se aos milhares os militares que contraíram empréstimos consignados e vivem próximos da penúria. Esforçam-se para manter a dignidade, o aluguel e o pagamento do colégio dos filhos em dia, a proteína no prato das crianças, mas está difícil.

Outras categorias com maior poder de pressão, como os fiscais da receita, permanecem em negociação salarial e perseguem índices maiores que 30%. 

A exemplo do que foi feito no passado, quando foram penduradas faixas com pedidos de reajuste em vários locais do país, os militares tentam chamar a atenção de alguma maneira.

Uma nova forma de protesto tem surgido essa semana. Fotografias de peças de fardamento que simbolizam o militar e sua insatisfação com a situação salarial “aparecem” nas redes sociais com textos reclamando da situação salarial.

Militares protesto reajuste salarial 2016 agosto

Vejam algumas imagens. Ao que tudo indica, logo serão muitas. Envie pelo email [email protected] ou pelo https://facebook.com/SocMilitar 

Revista Sociedade Militar