Forças Armadas

Política do PCdoB assume cargo na DEFESA e deve receber salário maior do que recebe um GENERAL.

Perpétua Almeida assume cargo chave no Ministério da defesaEx-Deputada do PCdoB assume cargo importante no MINISTÉRIO da DEFESA e pode receber até 22 mil reais.

Perpétua Almeida, membro do Partido Comunista, ex-bancária, ex-deputada e ex-professora é agora a nova Secretária de Produtos de Defesa (Seprod) do Ministério da Defesa.

Como secretária de produtos de DEFESA Perpétua terá entre sua funções tarefas nada simples. Entre outras coisas, terá que propor os fundamentos para a formulação e atualização da política nacional de ciência, tecnologia e inovações na área de defesa e acompanhar a sua execução; terá também que propor os fundamentos para a formulação e atualização da política nacional da indústria voltada para a defesa e acompanhar a sua execução. Além disso tudo, Perpétua terá também que propor diretrizes para a determinação de necessidades e requisitos, em termos de aproveitamento comum, dos meios de defesa dimensionados pela análise estratégico-operacional.

A nomeação já foi publicada na edição desta quinta-feira (07/01) do Diário Oficial da União. Ela substitui o engenheiro Murilo Marques Barboza.

Perpétua é líder do PCdoB no ACRE e está na DEFESA desde o início de 2015. A ex-parlamentar ocupava um cargo de menor expressão. Era assessora do Ministério da DEFESA, um cargo denominado DAS 102.4, e recebia salário de cerca de 7 mil reais mensais.

Ocupando a partir de agora a função que anteriormente pertencia a MURILO MARQUES BARBOZA a Ex-deputada – se gozar dos mesmos benefícios que o antecessor – deverá ganhar cerca de R$ 22 mil reais. O salário é maior do que o de um General de Exército.

O conhecido General MOURÃO, por exemplo, recebe um salário de cerca de 16 mil reais.

Defesa. Perpétua almeida nomeada seprod

Salário de murilo barboza no ministério da defesa

 Não se sabe como é o relacionamento da ex-deputada com os colegas militares dentro da DEFESA, já que foi, junto com Jandira Feghali, autora de projeto de lei que pretende excluir da lei de anistia os militares das Forças Armadas que participaram nos anos 70 e 80, de ações anti-terrorismo.

Veja também: Sorrateiramente tramita no Congresso projeto de unificação das polícias

Revista Sociedade Militar

3 Comments

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top