Foram SOLTOS vários executivos condenados por SÉRGIO MORO.

MORO é contestado por TRIBUNAL SUPERIOR. ABSOLVIDOS vários empresários CONDENADOS pelo juiz que atua na operação Lava Jato.

REVISTA SOCIEDADE MILITAR – Curitiba – O julgamento de apelação contra algumas das  penas relacionadas à operação “lava jato” terminou na semana passada, com isso a 8ª Turma do TRF4 reformou TOTALMENTE a DECISÃO do juiz SERGIO MORO em relação a vários executivos da OAS.

Alguma penas, a pedido do Ministério Público, foram majoradas para mais,.

O juiz Sergio Moro condenou executivos da construtora OAS por corrupção e lavagem de dinheiro.

Em vários trechos de votos desenbargadores criticaram os critérios adotados pelo juiz Sergio MORO. A turma REJEITOU por unanimidade a condenação de Mateus Coutinho de Sá Oliveira e Fernando Stremel, ambos executivos da OAS. Eles foram absolvidos por falta de provas. O juiz SERGIO MORO havia declarado que existiam provas contra os executivos em questão.

O juiz disse: “é possível concluir que há prova muito robusta”

Mateus Coutinho estava encarcerado há cerca de nove meses, sua condenação completa era de 11 anos de prisão. O outro executivo, Fernando Stremel, foi condenado a 4 anos e a pena foi trocado por prestação de serviços a sociedade.

Ambos serão soltos rapidamente.

Outro executivo preso e condenado por MORO a 11 anso de prisão teve sua pena bastante diminuída, para quatro anos, que será cumprida no regime semiaberto.  Recurso / Apelação 5083376-05.2014.4.04.7000

Resumo do JULGAMENTO em fase recursal

Paulo Roberto Costa: Foi condenado por corrupção passiva a pena de 14 anos e mais 8 meses de reclusão.

Alberto Youssef: O conhecido doleiro foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro a 26 anos e 10 meses de reclusão.

José Aldemário Pinheiro Filho: Esse foi condenado por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa a 26 anos e 7 meses de reclusão, em regime fechado;

Agenor Franklin Magalhães Medeiros: Foi condenado por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa a uma pena de 26 anos e 7 meses de reclusão, regime fechado

José Ricardo Nogueira Breghirolli: condenado por organização criminosa a 4 anos e 1 mês de reclusão, em regime inicial semi-aberto. Teve a pena por lavagem de dinheiro afastada, com consequente redução da pena total;

Waldomiro de Oliveira: condenado por lavagem de dinheiro em 7 anos e 6 meses de reclusão, em regime inicial semi-aberto.

Revista Sociedade Militar