MILITARES FARDADOS nas RUAS em manifestação – Oficiais superiores e praças UNIDOS na defesa dos DIREITOS.

MILITARES FARDADOS nas RUAS presentes em manifestação – Oficiais superiores e praças UNIDOS na defesa dos DIREITOS.

Quem disse que militares não podem se manifestar? Quem disse que militar não é cidadão?

Parece que os militares se cansaram de ser explorados e ter seus direitos afrontados por conta das restrições ao direito de greve e sindicalização. Militares de MINAS GERAIS estão nesse momento nas ruas em busca de resguardar seus direitos.

Imagens distribuídas pelas redes sociais mostram oficiais fardados caminhando à frente da manifestação em Minas Gerais.

manifestação de policiais fardados em minas

O país vive o caos na segurança pública. Se a coisa se alastrar em breve teremos manifestações e greves de profissionais da segurança pública em vários locais do país.

A cada greve de membros da segurança pública os MILITARES das Forças Armadas são convocados para prover segurança para a sociedade local. No Rio de janeiro não só policiais, mas também agentes prisionais e outras categorias ameaçam parar.

O Brasil possui atualmente pouco menos que 500 mil policiais militares. Só em MINAS GERAIS são 42 mil. Até que ponto os militares das Forças Armadas teriam possibilidade de “tapar os buracos” causados pela má administração dos governos estaduais?

O ministro da defesa já declarou que Militares das Forças Armadas também devem ser afetados pela restrição orçamentária / reforma da previdência, se isso realmente ocorrer não se tem ideia do que pode acontecer no país se militares das Força Armadas também decidirem ir para as ruas.

os acontecimentos dessa segunda feira, observados pelos olhos de especialistas, são extremamente preocupantes. Mostram que militares anteveem uma situação complicada. Por isso oficialidade e praças estão unidos e dispostos a lutar para que a segurança pública de Minas Gerais não entre em colapso.

Segundo o HOJE EM DIA a assessoria de imprensa da polícia de MINAS declarou que O ALTO COMANDO REALMENTE PARTICIPOU da manifestação: “O alto comando participou e apoiou a manifestação desta segunda-feira, mas a paralisação não é uma decisão institucional, é uma decisão por conta das próprias lideranças das associações

Revista Sociedade Militar