INSCRIÇÕES para a MARINHA– Sem concurso. Nível Médio e Fundamental. Seleção para MILITARES VOLUNTÁRIOS – Natal – Recife – Maceió – João Pessoa e Fortaleza.

MARINHA DO BRASIL – Sem concurso. Nível Médio e Fundamental. Seleção par MILITARES VOLUNTÁRIOS – Natal – Recife – Maceió – João Pessoa e Fortaleza.

A Revista Sociedad Militar informa que estão abertas as inscrições para selação de militares voluntários para a Marinha do Brasil na Região Nordeste, área do 3º Distrito Naval.

  • O Processo de seleção será constituído de Prova Objetiva de Língua Portuguesa e Conhecimentos Militar-Naval, Prova de Títulos, Verificação de Dados Biográficos, Verificação Documental e Inspeção de Saúde.
  • Prova Objetiva:
  • Data da Prova: 26MAR2017
  • Duração da Prova: 3 horas
  • Caráter: Eliminatório e Classificatório

Habilitação Profissional

Cidade/Estado

Vagas

Enfermagem (EF)

Natal – RN

07

Fortaleza – CE

01

Maceió-AL

01

João Pessoa-PB

01

Recife – PE

06

Nutrição e Dietética (ND)

Natal – RN

01

Fortaleza – CE

01

Recife – PE

02

Higiene Dental (HD)

Natal – RN

02

Fortaleza – CE

01

Recife – PE

01

Patologia Clínica (PC)

Natal -RN

02

Recife – PE

02

Radiologia Médica

Natal – RN

02

Recife – PE

02

b) Área Industrial – Nível Técnico como Cabo (CB)

Habilitação Profissional

Cidade/Estado

Vagas

Edificações (ED)

   

Natal – RN

04

Mecânica (MI)

Natal – RN

06

Metalurgia (ML)

   

Natal – RN

08

Eletrotécnica (TE)

Natal – RN

06

c) Para prestação do SMV como Marinheiro Especializado (MNE)

Habilitação Profissional

Cidade/Estado

Vagas

Marcenaria (NA)

Natal – RN

04

Motores (MS)

Natal – RN

04

Link para PÁGINA DE INSCRIÇÕES

MATERIAL DE ESTUDO PARA A SELEÇÃO DOS CANDIDATOS

LÍNGUA PORTUGUESA:
AZEREDO, José Carlos de. Escrevendo pela nova ortografia: como usar as regras do novo acordo ortográfico da língua portuguesa – 2.ed. – São Paulo: Publifolha, 2008.
BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2009.
KOCH, Ingedore Villaça; Elias, Vanda Maria. Ler e Compreender: os Sentidos do Texto. São Paulo: Contexto, 2010.
LUFT, Celso Pedro. Dicionário prático de regência nominal – 5.ed. – São Paulo: Ática, 2010.
Dicionário prático de regência verbal – 9.ed. – São Paulo: Ática, 2010.

FORMAÇÃO MILITAR-NAVAL

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DA MARINHA:
BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Título V. Promulgada em 5 de outubro de 1988.

LEGISLAÇÃO MILITAR-NAVAL:
BRASIL. Lei nº 6.880, de 9 dezembro de 1980. Estatuto dos Militares. Títulos I e II. Vade Mécum Naval. Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha. ed. rev. Rio de Janeiro, 2009.

RELAÇÕES HUMANAS E LIDERANÇA:
BRASIL. Marinha do Brasil. Estado-Maior da Armada. EMA-137 – Doutrina de Liderança da Marinha. Capítulo 1, rev. 1. Brasília, DF, 2013. Disponível para Download em: www.ema.mb/docspublicacoes/publique.html

HISTÓRIA NAVAL:
BITTENCOURT, A. de S.  Introdução à História  Marítima  Brasileira. Capítulo 4 ao 8. Rio de Janeiro: Serviço de Documentação  da  Marinha, 2006. Disponivel em biblioteca.dphdm.mar.mil.br/downloads_internet.htm

MILITARES TEMPORÁRIOS SÃO OS INTEGRANTES DA RESERVA DE 2ª CLASSE DA MARINHA, INCORPORADOS PARA PRESTAR SERVIÇO MILITAR, EM CARÁTER TRANSITÓRIO E REGIONAL. A NATUREZA DO VÍNCULO COM A FORÇA É, NESSE SENTIDO, PRECÁRIA E TRANSITÓRIA, COM DURAÇÃO MÁXIMA DE 8 (OITO) ANOS, NÃO GERANDO QUALQUER EXPECTATIVA QUANTO À PERMANÊNCIA E À ESTABILIDADE.

REVISTA SOCIEDADE MILITAR