BOLSONARO vota SIM para a reforma TRABALHISTA e recebe crítica de muitos seguidores

BOLSONARO vota SIM para a reforma TRABALHISTA e recebe crítica de muitos seguidores

bolsonaro votando no congresso nacionalA reforma é peça chave na reestruturação que hoje é realizada no país. Entre outras coisas vai reduzir a verba que entra nos bolsos dos sindicalistas, muitos deles inclusive ligados e partidos de esquerda e/ou subornados pelos empresários para beneficiar empresas, em detrimento dos trabalhadores.

A reforma, ao contrario do que diz parcela significativa da sociedade, que em sua grande maioria apenas repete o que recebe pelas redes sociais, deve aumentar um pouco a flexibilidade na relação entre patrões e empregados e isso será benéfico para o país.

Jair BOLSONARO e Eduardo Bolsonaro votaram SIM para a reforma trabalhista proposta pelo GOVERNO.

A reforma foi aprovada por 296 a 177 votos no Congresso Nacional. Aterrorizados, os PELEGOS da CUT assistiram a iniciativa que é apenas o começo do fim de sua hegemonia como os verdadeiros patrões da classe trabalhadora no BRASIL.

Seguidores de bolsonaro de autodeclaram como "de direita".Quem é de direita obviamente deve defender a menor ploretarização da classe trabalhadora, maior flexibilização nos horários, menos concentração de dinheiro e poder nos "coletivos" chamados sindicatos e o direito de cada um defender como quer estabelecer sua relação com o empresário.

A possibilidade de contratação pelas horas trabalhadas ou pela produtividade é também uma grande conquista, pode até permitir a contratação por mais de uma empresa.

Seguidor de BOLSONARO que se alia à esquerda contra a reforma trabalhista é no mínimo um paradoxo.

Parte da base aliada do governo TEMER os Bolsonaros têm apoiado as medidas impopulares apresentadas pela cúpula do PMDB. A PEC 241, medida já votada e aprovada, chegou a ser alvo de críticas de JAIR BOLSONARO, que disse que ela levaria à proletarização dos MILITARES. Contudo, no último momento o deputado se convenceu que deveria mudar de postura e votar a favor de TEMER.

Revista Sociedade Militar

Comentários