Entrevista com Líder intervencionista – Tresloucados? Diante de sandices e interesses escusos alguns intervencionistas lutam para manter a coerência de seu movimento

Intervencionistas tresloucados? Diante de tantas sandices alguns poucos lutam para manter a coerência de um movimento que é atacado de todas as formas possíveis. A entrevista com o líder do Pesadelo dos Políticos revela que ha interesses escusos por trás de vários grupos que se autoproclamam como intervencionistas.

Em um país onde se encara como coisas normais a invasão e destruição de fazendas produtivas, exaltação de líderes como Fidel Castro e Stalin e cuspidas em militares idosos que passaram a vida lutando pelo nosso país, há de se meditar se não é um paradoxo chamar de irracionais as pessoas que defendem o fechamento do corrupto e oneroso Congresso Nacional e instituição de um governo provisório até que se realize novas eleições com candidatos ficha limpa.

Por outro lado, é natural que os militaristas sejam chamados de radicais pelos membros da esquerda brasileira. Afinal, o próprio termo FORÇAS ARMADAS já lhes desperta certos tremores e lembranças de uma fracassada tentativa de impor sua filosofia assassina no BRASIL. O discurso da esquerda até hoje diz que nos anos 60 e 70 eles lutavam pela democracia.

Intervencionistas estigmatizados

O que se percebe é que mesmo entre os “não-esquerdistas” o movimento pró-intervenção militar é visto cada vez mais como insano, irracional e de extrema-direita. O estigma de extremista-radical aparentemente não se deve a sua principal demanda – o fechamento do Congresso Nacional pelos militares e uma espécie de reset na política. Este aparentemente é causado por um acúmulo de ações e declarações que compõem o discurso de grande número de intervencionistas, que ultrapassam o limite da racionalidade.

Frases como “morte aos comunistas”, “gay tem que morrer”, a crença de que existe bases russas na Amazônia ou que Evo Morales vai invadir o Brasil têm realmente feito com que a sociedade veja o grupo como “espécimes” esquisitos, que vêem o mundo por um prisma surreal.

Indivíduos, que lideram grandes grupos, alegam ter contato com militares, recebem “informes secretos”, têm “decretado” seguidamente intervenção militar e marcado datas e mais datas para a coisa, sem que nada tenha acontecido. Alguns comparecem a eventos militares abertos ao público, tiram selfies com militares e postam as imagens nas redes sociais, aumentando assim seu status entre os intervencionistas. Eles assim arrastam multidões e ganham dinheiro com publicidade em sites e canais que arrecadam dinheiro de gente de boa fé, mas de fácil manipulação. Verifica-se lideranças intervencionistas ligadas à vários canais e sites sensacionalistas, que inventam notícias e/ou plagiam e modificam artigos publicados por sites sérios.

VEJA: Texto sobre a BASE RUSSA na AMAZÔNIA

A Revista Sociedade Militar ao longo de anos tem acompanhado o movimento pró-intervenção militar, também chamado de MILITARISTA. Desde antes das manifestações de 2014 temos dado voz a alguns grupos. Não se trata de concordar ou discordar com seu pleito, esse não é nosso papel. Se trata de acreditar que em uma democracia todos possuem o direito de pleitear o que acreditam ser o melhor para o país, desde que não se faça apologia a ilegalidades. E a ação dos militares em caso de necessidade extrema – como deixou claro General Hamilton Mourão e outros militares da ativa e reserva – é prevista na Constituição Federal de 1988.

É fato que os intervencionistas existem e seria no mínimo desonesto ignora-los, principalmente no nosso caso, um veículo de comunicação que tem a temática “MILITARES” como foco principal. Ha também uma parcela desse grupo que acredita que uma ação dos militares facilitaria o retorno do sistema monárquico para o Brasil, alguns acham que militares são favoráveis a isso. Abordaremos essa questão em outro momento

O Rio de Janeiro é sede do grupo O Pesadelo dos Políticos. Esse ano percebemos que o grupo se manifestou em momentos chave para o estado, como a ocupação militar na Rocinha. Eles têm também estendido faixas e sua bandeira gigante em vários locais da cidade. Em 24 de novembro o grupo chamou a atenção de milhares de pessoas ao dar uma entrevista na rádio Metropolitana-RJ. Procuramos a liderança e um dos fundadores, E. Alarcon, concordou em conversar em nome do grupo com a Revista Sociedade Militar.

Alarcon rejeita a alcunha de líder intervencionista, diz que o movimento tem vários líderes e que tudo é resolvido de forma democrática. Na entrevista ele deixa claro quais são as suas intenções e sua visão do movimento a favor da intervenção militar no Brasil.

bandeira gigante comunismo

Entrevista E Alarcon – Líder Intervencionista

A entrevista foi gravada. Abaixo transcreveremos algumas partes e a conclusão permanece em áudio.

RSM – Quantos anos tem o grupo? Pesadelo – 10 anos

RSM –Quantos membros tem o grupo, tem representação fora do Rio? Pesadelo A gente tem hoje 150 mil… O objetivo principal é a intervenção militar, uma formatação no país. Estamos tentando organizar a equipe nos 27 estados. É uma luta difícil. Não temos suporte de ninguém… Hoje já temos a equipe Rio de Janeiro, a equipe Amazonas, a equipe São Paulo, em avanço estão Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Rio grande do Sul, RN e Minas Gerais em movimentação, organizando o mínimo possível para começar a fazer as ações. Lembro ainda que nossa página com 190 mil no facebook foi censurada, roubada, começamos tudo do zero de novo.

RSM – Vocês acreditam que os militares brasileiros fariam novamente o que foi feito em 1964, sendo que – como diz o general Villas Bôas – vivemos em um contexto completamente diferente do que vivíamos nos anos 60 / 70?. PesadeloAcredito SIM, o contexto está bem pior. Esta muito pior que em 64. Em 64 com as armas e cursos de guerrilha de CUBA eles já lutaram contra nosso Exército. Hoje com a esquerda há mais de 30 anos no poder, roubaram milhões, vocês imaginem quantos paióis de armas esses infelizes não tem escondido. Então eu acredito sim que os militares podem agir. Mas para isso eles tem que ter o respaldo da população. O artigo primeiro, todo poder emana do povo. E para ter o respaldo da população a gente precisa conscientizar… Na verdade a gente está desfazendo essa doutrinação de mais de 30 anos através das mídias, jornais sindicatos, das faculdades, desses professores marxistas que doutrinaram a população. Por isso a demora, sem contar as outras coisas que contribuem para alienar a população. Transformaram o país no país do samba, do futebol, da novela… é uma luta muito difícil.

RSM – O que precisa acontecer, em sua visão, para que as Forças Armadas assumam o controle do país? PesadeloNa minha visão para as FA tomarem o controle do país ou o povo vai consciente para as ruas clamando socorro, como aconteceu no Egito, foram milhões para as ruas que entraram até nos quartéis. Não tem como não fazer nada, porque é a maioria, são milhões, é obvio que eles vão atender o clamor popular, vão ter o respaldo para colocar o Brasil nos trilhos… Pra isso acontecer os grupos intervencionistas tem que fazer ações… tá cheio de grupos aí só no facebook e whatsapp… Sem o respaldo da população somente em caso de distúrbio gravíssimo… ou em caso de guerra civil. 

RSM – Nas redes sociais há reclamações sobre grupos que arrecadaram dinheiro para ir até Brasília se manifestar e os ônibus não teriam aparecido. Há grupos de intervencionistas que mantém sites que arrecadam dinheiro por meio de doações e anúncios. Esses sites frequentemente publicam noticias absurdas, fantasiosas… como a da existência de bases RUSSAS na Amazônia,  outra que diz que navios lotados com centenas de milhares de árabes estão para atracar e outros absurdos. O que você acha disso, qual a intenção dessas pessoas? 

PesadeloA população precisa ficar desperta. Principalmente os patriotas… Não passam de sites sensacionalistas, eles usam a internet para monetizar, tem milhares de inscritos, arrecadam em cima do movimento intervencionista e não tem nenhum tipo de ação. Estão ali exclusivamente para postar notícia sensacionalista na internet, pra causar esse transtorno todo. O movimento está lotado de infiltrados, prestando um desserviço ao legitimo movimento dos patriotas que dão o sangue para conversar com o povo… captar patriotas, que fazem a coisa acontecer. Um monte de notícias fantasiosas, não é um nem dois, são vários. Estão ali exclusivamente para arrecadar… e esse dinheiro vai para onde? Eles botam ali o sistema de monetização no youtube. Antes de ver o vídeo tem que ver o anúncio. São milhares porque tem muitos inscritos … adsense… google… realmente é preocupante esses falsos patriotas… entram pra causar confusão, brigas internas… só tenho a lamentar.

Pesadelo – Tem mais coisa. Eles criam até generais. General que não existe, coronel que não existe. Hoje temos aí promoção de nome pessoal. Não sei com qual intuito… o capitão da intervenção, o cabo da intervenção, tem a Chiquinha da intervenção… realmente as pessoas estão usando o nome pessoal pra se promover… postagem com o nome pessoal tem algum motivo. Já recebemos material de intervencionista que vem candidato no ano que vem. Promovem o nome pessoal para quando chegar o momento fazer o que tem que fazer… Ano que vem vários serão candidatos. A gente quer o fechamento dos partidos… isso não é verdadeiro intervencionista.

Veja artigo sobre GENERAL VON BRENNER, que enganou milhares de pessoas

RSM – Um líder intervencionista, seguido por milhares de pessoas, diz que em 29 de dezembro será declarado presidente do Brasil. Essa mesma pessoa vende pela internet um “bônus da intervenção”. O senhor não acha que esse tipo de pessoa pode fazer seu movimento ser taxado como um movimento de loucos, ou fanáticos, fazendo-o perder credibilidade diante da população e forças armadas.

Pesadelo – Sem dúvida… em outro vídeo falou que tem chacais dentro dos presídios.. é um senhor que fala coisas sem pé nem cabeça… arrecadando fundos… isso aí sem dúvida tira a credibilidade do movimento… e acaba enganando grande parte da população, vídeos bem acessados, sites com milhares de inscritos… infelizmente a gente só tem a lamentar por esse tipo de pessoa se dizendo ser intervencionista.

RSM – O senhor, pelo que sabemos, participa de reuniões no Clube Militar e, sempre que convidado, de encontros de militares em outros ambientes. Acredita que seu pleito é bem visto pelos militares em geral? Bolsonaro é intervencionista? Pesadelo – É uma honra receber esses convites, muitos conhecem nosso trabalho, sabem que a luta é séria e sempre que possível a gente vai estar junto. Prestigiando principalmente os heróis que o Brasil não valoriza. O pessoal da reserva, o pessoal da FEB. Teve aquele ocasião que a FEB foi agredida inclusive com cuspe, na saída do clube militar. Após esse episódio todo evento que tem a gente procura estar presente pra dar algum suporte, pros nossos guerreiros, heróis do Brasil. Acredito sim que eles valorizam o nosso trabalho.

RSM – Recentemente circulou nas redes sociais uma mensagem que avisa a polícia federal que suposto líder intervencionista, que grava vídeos com frequência e se declara ligado a vários grupos, instiga seus seguidores a gerar o caos no país, inclusive fechando centrais de produção de energia elétrica. O que você acha disso? intervencionistas caos

RSM – o PESADELO dos POLÍTICOS realmente acredita que as Forças Armadas terão condições de governar o país e se acreditam que deve ter alguma reação por parte de grupos de esquerda?

Ouçam as respostas.

Ouça abaixo áudio com a última parte da entrevista:

Pelo que ouvimos os intervencionistas do grupo Pesadelo dos Políticos acreditam que as Forças Armadas só irão para as ruas se grande parte da sociedade exigir isso, que isso não ocorrera de um dia para o outro e que ha radicais que instigam o caos no país achando que isso pode forçar uma ação dos militares. Acreditam ainda que as FA tem condições de assumir completamente o controle do país e que – inclusive – podem ao mesmo tempo dar conta de eventuais reações por parte de grupos ligados a esquerda. Sobre BOLSONARO o grupo alega que este nunca declarou qualquer apoio à intervenção militar. O pesadelo dos políticos completa 10 anos em dezembro de 2017, o grupo inscreve membros por meio do whatsapp (61) 99904-5568. 

Revista Sociedade Militar

Share Button

Comentários