Grande festa dos POLONESES chamada pela Globo de culto ao NAZISMO

Gafe Global gera declaração de repúdio por parte de Governo Polonês

Cortesia e respeito para com todos é uma das principais regras de convivência. A Polônia foi vitimada tanto pelos nazistas como pelos soviéticos, após ser invadida pelo exército vermelho de STALIN, que celebrou pacto secreto com HITLER. Até hoje quem deseja conhecer de perto um pouco da história do TERROR nazista e inevitavelmente sair de lá chocado –  por mais que já tenha lido sobre o assunto – visita Auschwitz, uma rede de campos de concentração localizados no SUL da Polônia onde foram mortas mais de 1.3 milhão de pessoas.

O rede globo deve desculpas ao povo polonês.

O fato de ter bloqueado a CONSULESA POLONESA no seu canal no TWITTER também foi amostra imperdoável de falta de ética. A diplomata informou a CHAKRA que se tratava de comemoração da independência do país e que o jornalista usou imagens equivocadas, de outro país.

Veja a declaração oficial do Governo Polonês sobre o caso, onde inclusive mencionam que o país proibiu a manifestação pública de supremacista branco norte-americano, considerado alguém que “difama o que realmente ocorreu na segunda guerra mundial, que difama o holocausto

Abaixo a Revista Sociedade Militar transcreve a  declaração do Ministério das Relações Exteriores da República da Polônia relativa aos comentários relacionados aos incidentes durante a Marcha da Independência na Polônia

No dia 11 de novembro do corrente, em Varsóvia, foi realizada a Marcha da Independência, que acontece ciclicamente, da qual participaram milhares de pessoas que puderam, de forma pacífica, expressar os seus sentimentos patrióticos.

A Marcha foi uma grande festa dos poloneses, que tem diferentes pontos de vista, porém se unem no que diz respeito aos valores comuns: a liberdade e a fidelidade à Pátria Independente. O Ministério das Relações Exteriores aponta que enfatizar os acontecimentos que foram apenas incidentes é inadequado.

 Gostaríamos de lembrar também que as autoridades polonesas rejeitam as opiniões baseadas em ideias racistas, antissemitas e xenofóbicas, em função disso o Ministério das Relações Exteriores  foi contrário à visita do Sr. Richard B. Spencer na Polônia.

 Assessoria de Imprensa / Ministério das Relações Exteriores

Revista Sociedade militar

Share Button

Comentários