Golfo sem VOLTA. 20 km infestados de contrabandistas entre VENEZUELA e TRINIDAD E TOBAGO

20 km infestados de contrabandistas entre VENEZUELA e TRINIDAD E TOBAGO

Apenas 10 milhas de largura, o Golfo de Paria, que separa a Venezuela de Trinidad e Tobago, se tornou um dos trechos marítimos mais perigosos do planeta. A região, devido ao estado de necessidade vivido pelos venezuelanos, agora está infestada de piratas e contrabandistas que traficam de tudo, desde fraldas descartáveis e absorventes a armas e pessoas.

O governo venezuelano, mesmo em meio ao caos, tenta segurar o preço do gás de cozinha e do combustível. Venezuelanos atravessam com esses itens em direção a Trinidad e Tobago e retornam com tudo o que for possível vender em seu país. Os produtos adquiridos em Trinidad e Tobago valem 4 ou 5 vezes mais na Venezuela. Pescadores e pessoas comuns tem se transformado em contrabandistas e – obviamente – hoje é mais vantajoso vender para venezuelanos do que para os próprios moradores de Trinidad e Tobago, o que acaba aumentando os preços também no local.

Aproveitando seu estado de “foras-da-lei”, piratas e até membros da guarda costeira da Venezuela abordam as embarcações e “apreendem” tudo o que carregam. Os desaparecimentos são comuns no local.

Um relatório publicado pelo BLOMBERG diz que a população local já vinha empobrecendo desde que Chávez assumiu o governo e expropriou várias empresas de pesca e navios.

A partir de 554 mil toneladas de peixes capturados em 1997, ano em que Chávez iniciou sua revolução, a captura em 2015 caiu quase 60%, para 226,6 mil toneladas”, diz o artigo.

Com a crise atual vivida a população já sofrida está agora na miséria. Outro artigo, publicado em jornal local de Trinidad e Tobago chama o local de “O golfo sem VOLTA”, devido a quantidade de assassinatos de pescadores e pequenos contrabandistas.

O chavismo está destruindo completamente a VENEZUELA e causando cada vez mais instabilidade na região circunvizinha.

Revista Sociedade Militar

Comentários