Cristãos perseguidos. O mundo finge que não sabe. E você, o que tem feito?

Há apenas uma semana a Revista Sociedade Militar publicou artigo informando que a perseguição aos cristãos está aumentando muito na Coréia do Norte.

Veja o ARTIGO sobre o sofrimento dos cristãos coreanos

Hoje alguns jornais pelo mundo, como o Washington Times,  informaram que a coisa ocorre de modo similar na China.

Grupos que acompanham o assunto de perto dizem que a perseguição de cristãos e outras minorias religiosas na China é a mais intensa desde a Revolução COMUNISTA de MAO, quando as igrejas eram fechadas, Bíblias foram confiscadas e milhares de cristãos foram presos

Nessa semana, segundo o grupo de defesa ChinaAid, a polícia chinesa invadiu a Early Rain Covenant Church, uma paróquia subterrânea situada na província de Sichuan, no sudoeste do país. 17 pessoas foram violentamente detidas, incluindo o sacerdote Wang Yi e sua esposa, que tentaram bloquear a porta para que a polícia não entrasse.

O pastor Bob Fu , fundador e presidente da ChinaAid, conta que o número de pessoas presas na China por crimes religiosos “alcançou o nível mais alto desde o fim da Revolução Cultural”. Ele mostra um aumento de quase cinco vezes no número dos cristãos que foram perseguidos pelo governo em 2017.

“Somente para cristãos, no ano passado, documentamos crimes contra 1.265 igrejas, com o número de pessoas perseguidas somando mais de 223.000. E essa é apenas a ponta do iceberg ”, disse Fu . 

Em 2016, houve 762 casos de perseguição e segundo nossos registros, com o número de pessoas perseguidas sendo mais de 48.000. Realmente é um aumento de quase cinco vezes… ”.

Alguns dissidentes religiosos e ativistas de direitos humanos estão detidos há anos, disse Fu , deixando as famílias preocupadas em saber se ainda estão vivos.

Não podemos deixar de advertir que a grande mídia têm que ser cobrada para falar sobre o assunto e que políticos tem que ser igualmente cobrados a pressionar diplomatas de países que ainda perseguem pessoas por causa de sua confissão religiosa.

Um deputado federal pode convocar um embaixador ou cônsul para dar explicações e responder perguntas no Congresso Nacional. A China tem interesse em fazer mais negócios com o Brasil. Portanto, pode ser pressionada a acabar com a perseguição religiosa.

Se você é cristão fica a pergunta: quantas vezes seu pastor cobrou isso dos políticos de sua região? Quantas vezes o padre de sua paróquia fez essa cobrança aos políticos de sua região? Alguma vez você pensou em fazer algum tipo de campanha exigindo que à China ou Coréia do Norte que parem de perseguir cristãos?  

Revista Sociedade Militar

Veja mais informações no site CHINAAID