O Globo é obrigado a citar BOLSONARO em artigo de página inteira

Ontem ao sair do Círculo Militar da Praia Vermelha – no Rio, esse articulista embarcou em um Uber. O motorista percebeu que eu sou militar, talvez pela postura, corte de cabelo… não sei muito bem… há coisas que a gente não perde nunca… mesmo depois de alguns anos na reserva. O senhor – na casa dos 60 anos de idade – logo iniciou um papo sobre política, citou Bolsonaro como seu candidato e o fato da Rede Globo omitir as pesquisas de opinião que o colocam como primeiro colocado.

Perguntei sobre a posição das pessoas de seu círculo de amizades, ele respondeu que todos estão com Bolsonaro e com os candidatos que ele indicar… “Se quer mudança não tem outro nome“, disse ele.

Hoje (07/06) pela manhã recebi um exemplar de O GLOBO, para minha surpresa vi que há uma reportagem de página inteira sobre JAIR BOLSONARO. Logo lembrei da conversa com o motorista do Uber. O artigo, como é de se esperar, não tem o objetivo de falar bem do candidato-militar, fala sobre o a elevação do tom dos chamados “candidatos tradicionais” contra Jair Bolsonaro.

De uma forma ou de outra a grande mídia é obrigada a citá-lo

O texto dá espaço mais para as posições de Ciro e Alckmin do que para as de Bolsonaro, obviemente. A imprensa parece não ter percebido ainda, talvez por conta de seu próprio ambiente de trabalho onde todos pensam da mesma maneira, que uma palavra na contramão do politicamente correto causa mais impacto que um parágrafo inteiro de Ciro Gomes, Alckmin ou mesmo de FHC, de onde só se ouve mais do mesmo. Portanto, por menos espaço que se dê para Jair Bolsonaro ele dificilmente deixa de impactar.

Tentando denegrir, o artigo reproduz fala de JB quando diz: “quando eu era moleque as pessoas chamavam as pessoas de quatro-olhos, gordinho… hoje quem é chamado de gordinho vira mariquinha“. A reportagem não explica que Bolsonaro quer dizer que naquela época as crianças aprendiam a enfrentar as adversidades e que isso contribuiu até para a formação de adultos saudáveis.

O artigo reproduz outra fala de Bolsonaro, sobre o tal CENTRÃO: “quero agradecer ao centão porque ele vai votar comigo lá na frente, vou ler o ponto 14 do manifesto: …governabilidade centrada em um programa de governo, não na velha e esgotada… troca de verbas e cargos por votos…

Revista Sociedade Militar

Robson Augusto é Militar R1, Cientista Social e Jornalista // 

Comentários