O QUE SE ESPERAR DO VOTO EM CANDIDATOS DE ORIGEM  MILITAR OU QUE TIVERAM VÍNCULO COM A INSTITUIÇÃO

O QUE SE ESPERAR DO VOTO EM CANDIDATOS DE ORIGEM  MILITAR OU QUE TIVERAM VÍNCULO COM A INSTITUIÇÃO

Eduardo Sobreira Muniz, CMG FN RRM, pós-graduado em Sociologia e ex-professor CENTEC

  A DEMOCRACIA é o consenso de muitos. A Instituição militar é PERENE. O CANDIDATO MILITAR ELEITO TEM A OBRIGAÇÃO DE TORNAR PERENE, VINCULADO, CONSENSUAL, DINÂMICO OS ATOS E FATOS CORRETOS DA  ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Nada de coligações por poder e cargos. O poder emana do povo e em seu nome é exercido.  

Por exemplo, segue-se :¨ Winston Churchill fez o que muitos consideram um dos discursos mais famosos da história no dia 4 de junho na Câmara dos Comuns, no Parlamento Britânico. Conhecido como “Nós lutaremos nas praias”, o texto é uma aula em oratória: “Iremos até o fim. Nós lutaremos na França, lutaremos nos mares e oceanos, lutaremos com crescente confiança e crescente força no ar, defenderemos nossa ilha, a qualquer custo. Nós lutaremos nas praias, lutaremos nos locais de desembarque, lutaremos nos campos e nas ruas, lutaremos nas colunas. Nunca nos renderemos”. *1  Esta é a aliança do candidato de origem militar e o povo – nunca se render a propina, ao conchavo, a falta de ética e a corrupção moral.  Simplesmente diga não – a negativa enfática , a recusa explícita.

  A segunda idéia é o profundo entendimento da teoria de Montesquieu que trata da : “Preliminarmente, cumpre-se ressaltar que devido sua importância e impacto na sociedade, o tema “Separação dos Poderes”, tem sido objeto de estudos ao longo da história por grandes Pensadores e Jurisconsultos, tais como: Platão, Aristóteles, Locke, Montesquieu e etc, que resultaram no modelo Tripartite amplamente utilizado nos dias atuais, inclusive como Princípio Constitucional no Ordenamento Jurídico nacional, no artigo  da Constituição Federal da República Federativa do Brasil do ano de 1988, também utilizado na maioria das organizações de governo das Democracias Ocidentais, consagrado com a inserção do artigo 16 da Declaração Francesa dos Direitos do Homem e do Cidadão, no ano de 1789” *2.

Isto quer dizer que estes candidatos quando eleitos deverão se cercar de civis ou civis ex- militares ou militares da reserva que detenham amplo conhecimento de todos os temas a fim de construírem leis, gerarem conhecimento científico e administrarem com foco  em ações e obras que desenvolvam o Brasil, seus estados e municípios na saúde, na educação, no direito, na industrialização, na fixação do homem no campo, no combate ao desmatamento, política de segurança pública  etc.

  Continuando podemos citar o seguinte : “Daí poder-se atribuir a Montesquieu a Teoria dos Freios e Contrapesos, conforme vemos em citação do Desembargador Pedro Vieira Mota: “Estaria tudo perdido se em um mesmo homem, ou um mesmo corpo de principais ou nobres, ou do Povo, exercesse esses três poderes: o de fazer as leis; o de executar as resoluções públicas; e o de julgar os crimes ou as demandas dos particulares”. *2  

Assim é importante a contextualização   da DEMOCRACIA como realmente o poder para todos– os eleitos para a Câmara dos Deputados e Senado devem estar extremamente vinculados a construção de um legislativo que interprete de fato os anseios da população e FAÇAM A construção junto com os governadores de uma sociedade que efetivamente caminhe para o  bem social.  É importante frisar que a desconstrução de nossa sociedade está chegando a um ponto de ruptura social, isto quer dizer que a quantidade de excluídos nas ruas, usuários de droga, subempregados, DESEMPREGADOS  e vinculados ao crime estão em número tal grande que pode ser que seja impossível o retorno a uma sociedade igualitária em oportunidades ATÉ A LONGO PRAZO. O Brasil não pode virar uma sociedade de CASTAS. A DEMOCRACIA ATUAL COM VIÉS DE GRANDE CONCENTRAÇÃO DE ATOS DE CORRUPÇÃO JÁ GEROU UM AMBIENTE DE PROFUNDA VIOLÊNCIA E ABANDONO. A GESTÃO DA DEMOCRACIA É MERITOCRÁTICA  E CONSTRUTORA DE CAPACIDADES PELA EDUCAÇÃO, SAÚDE E INVESTIMENTOS PÚBLICOS.

“A democracia precisa da virtude, se não quiser ir contra tudo o que pretende defender e estimular.”      Papa João Paulo II

   Terceiro fato é a coesão do empresariado com a classe operária em um dinamismo crescente via agentes públicos do legislativo e da administração. Vejam um texto do Japão:

Anan, uma estudante de economia de 21 anos, não se imagina nem sequer se manifestando nas ruas. “Todo mundo aqui pertence à classe média e todo mundo pode encontrar trabalho nas empresas médias. Não há motivos para protestar”, explica à AFP.

A taxa de desemprego é de 4%, embora não inclua as pessoas que só trabalham em tempo parcial. “O fato de que praticamente não haja greves tem a ver com a herança da economia planificada da época da guerra. O importante então não era a classe [social], mas sim a sobrevivência da nação: os funcionários tinham que sacrificar seus interesses de classe e atuar como trabalhadores patriotas pelo bem da empresa e do país. É uma idéia muito poderosa”, explica à AFP, Koichi Nakano, professor de ciências políticas da Universidade de Sofia de Tóquio.

Hideshi Nitta, responsável pelas relações sindicais no patronato japonês, o Keidanren, não o desmente. “Depois de 1960”, explica à AFP, “a empresa se transformou em um barco com passageiros”. Ou seja, se a empresa afundar, todo mundo afunda. Era a época dos anos de “alto crescimento” que transformaram o Japão na segunda potência econômica mundial. ” *4

 As fábricas precisam de consumidores que são em parte seus empregados e os de outra empresa. ASSIM É NECESSÁRIO EMPREGAR PARA A ECONOMIA GIRAR.  sistema público bancário estatal ou privado tem que ter a certeza que a política econômica visará a construção de fábricas, lavouras, industrias, pecuária, extrativismo mineral e vegetal que formem uma nação rica para todos e que retornarão os empréstimos cedidos dentro  de uma normalidade comum aos países europeus. Isto quer dizer que as hiper taxas de juros desaparecerão pela confiança mútua mercado-governo-progresso e por uma legislação coerente.

 O foco dos eleitos e eleitores são estradas de ferro, exportação, gestão com qualidade, educação das massas, tecnologia de informação, logística, enfim , acabar com a crescente massa de abandonados sociais sem oportunidade; que a riqueza saia do capital – MONEY e vá para a forma estrutural de qualidade e oportunidade de todos- ruas asfaltadas, escolas, residências, empregos, segurança pública etc.  Nós não queremos ver ações demagógicas e falatórios nas TVS.  Temos que ver a esperança .

   Queremos ver a esperança de fatos como o seguinte de crescimento de nossa economia por volta dos anos 70 : “Em 1967, o país já registrou um razoável crescimento: 4,8%. No ano seguinte, em 1968, quase o dobro: 9,3%, tendo o conjunto da atividade industrial alcançado o patamar de 15,5%, puxado pela construção civil, com 17% de crescimento. A decolagem era produto da combinação das medidas do governo com uma série de condições favoráveis, internas (ociosidade do parque industrial, demanda reprimida, saneamento financeiro executado pelo governo anterior) e externas (início de um boom espetacular no mercado internacional: entre 1967 e 1973, o comércio mundial cresceu a uma taxa de 18% ao ano).” *5

   FINALIZANDO, os nossos candidatos tem que estar preparados a  construir um sistema de gestão mais próximo do povo – cliente,  fim evitar que camadas e camadas de gestão que geram custos elevados, improdutivos e com possibilidade de  corrupção . A informática e sua tecnologia  é uma das principais ferramentas da gestão pública.  Assim cabe relembrar o que o Processo de Planejamento Militar e a gestão administrativa tem em comum:

“Como sabemos que o papel de todo gestor é tomar decisões que busquem as melhores alternativas para que a empresa continue a crescer, é que muitos administradores são voltados paras as práticas do processo decisório, pois desta forma, os objetivos traçados pela empresa são discutidos.  É possível trabalhar o processo decisório em 5 etapas: 

1ª ETAPA: RECONHECIMENTO 
• Reconhecer um problema ou oportunidade;  • Essa etapa é crucial, pois se não for bem feita todo trabalho de uma equipe será desperdiçado;  • É considerada a mais difícil das cinco. 

…..conhecer seu estado, cidade , os problemas, as potencialidades…*¨6.

2ª ETAPA: ELABORAÇÃO 
• Elaboração de alternativas de ação; • É necessário elaborar alternativas, pois se elas não existem, não há decisão a ser tomada;  • Para facilitar a segunda etapa, foi desenvolvido um instrumento gráfico, denominado “árvore de decisão”, que avalia as alternativas disponíveis (esse processo é normalmente usado quando há muitas alternativas a serem discutidas); 

……observar leis que podem ser melhoradas, projetos sociais que podem se expandir……*6
3ª ETAPA: PLANEJAMENTO 
• Avaliação das vantagens e desvantagens das alternativas; • É importante destacar que se deve avaliar as vantagens e as desvantagens de cada   alternativa;  • Nessa etapa, é importante ter senso crítico ao avaliar as alternativas; 

…..ver as capacidades do órgãos públicos de seu interesse como polícia, bombeiro, escolas , hospitais e procurar influenciar políticas de interação com bairros, distritos, campo…..*6. 

4ª ETAPA: DECISÃO E IMPLEMENTAÇÃO 
• Selecionar a alternativa escolhida; • Após a alternativa ser escolhida deve-se anunciá-la com confiança e de forma decisiva, pois caso contrário poderá ser despertado um sentimento de insegurança nos outros. • Implementar a alternativa escolhida; • Um erro comum é implementar a alternativa escolhida na época errada. 

……estar inteirado da cadeia de valor de Porter pois aproxima produtores a fábricas e a clientes gerente fluxo de produção e consumo……*6

5ª ETAPA: CONTROLE 
• Avaliação dos resultados da decisão; • Nessa etapa é necessário humildade, pois se o resultados não são os esperados, muitas vezes sai mais barato admitir o erro que manter a decisão.”

……a chave do controle é a capacitação de pessoas e a utilização de profissionais que  por seu conhecimento podem influenciar medidas administrativas e projetos….um exemplo é que Israel apesar de ter parte de seu território em terreno árido tem vacas de maior produção leiteira da Europa e áreas próximas ……*6 *3

 Assim nos futuros eleitos devem formar uma rede extrapartidária em que o foco seja um trabalho de equipe, organização de tarefas, objetivos e metas dentro da estabilidade política e econômica. A estrutura militar de multifuncionalidades deve reverberar no seio dos eleitos fim recompor a nossa sociedade moral e eticamente. HÁ ESPERANÇA NO TRABALHO HONESTO E PROFÍQUO DE TODOS OS BRASILEIROS PELO BEM COMUM. Lembremo-nos de países como o Japão, Coréia do Sul, Alemanha que por volta de 70 anos ATRÁS SE ENCONTRAVAM DESTRUIDAS E SE REMONTARAM PELO ESFORÇO DE SEU POVO PELO POVO.                           

*1 –  https://novaescola.org.br/conteudo/9572/churchill-na-segunda-guerra-nao-foi-bem-assim-que-aconteceu

  *2 –  https://caiorivas.jusbrasil.com.br/artigos/349259571/montesquieu-e-a-importancia-da-triparticao-dos-poderes

    3 –  http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/etapas-para-uma-boa-tomada-de-decisao/20906/

    *4 – https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2014/02/03/interna_internacional,494601/japao-o-pais-sem-greves-nem-manifestacoes.shtml

    *5 – https://monografias.brasilescola.uol.com.br/historia/ditadura-militar-no-brasil.htm

   *6 – comentários pessoais do escritor