ONU protege VIOLADORES, diz vice-presidente dos EUA

Nos últimos meses os EUA tem cada vez mais fugido de posicionamentos politicamente corretos. Com a repercussão / polêmica relacionada à crise causada por imigrantes que insistem em tentar entrar nos Estados Unidos com crianças, se torna cada vez mais evidente que ONU, parte da mídia tradicional e até alguns intelectuais se recusam a tratar as questões humanitárias da maneira honesta. A grande mídia chega ao extremo de divulgar fotografias de crianças apreendidas registradas durante o governo Obama como se fossem atuais.

É obvia a situação de fragilidade e péssima acomodação de milhares de imigrantes – adultos e crianças – detidos ao tentar ingressar ilegalmente nos EUA e justa a indignação com a lerdeza do governo Trump em resolver a questão. Todavia, também é evidente a responsabilidade individual dos próprios imigrantes ilegais. Proteger pessoas em situação de vulnerabilidade não significa tentar esconder seus erros, isentá-los de sua responsabilidade e deixar de cumprir o que determinam as normas vigentes.

A decisão dos Estados Unidos de se retirar do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas veio no bojo dessa crise.

O vice-presidente Mike Pence declarou nessa terça-feira que a medida indica que os EUA se posicionam contra os “piores violadores de direitos humanos do mundo“. Ele faz ainda uma acusação séria ao dizer que ao longo dos últimos anos o conselho se envolveu em uma “virulenta defesa antiamericana e anti-Israel“. 

Ao elevar e proteger os violadores de direitos humanos e se envolver em campanhas de difamação contra nações democráticas, o UNHRC zomba de si mesmo, de seus membros e da missão em que foi fundada“, disse ele em um post nas redes sociais

Mike Pompeo disse que os EUA não mais receberão sermões / aulas hipócritas na ONU: “Os Estados Unidos… cujos funcionários tem sacrificado a vida para libertar milhões de pessoas da opressão… não vai mais ter aulas de forma hipócrita de corpos e instituições.

Robson Augusto – Militar R1, Cientista Social, Jornalista // Revista Sociedade Militar.