“Cão-didato… idiota”! Texto do General Paulo Chagas

Cautela, “cãodidato”…

Caros amigos

O desconhecimento da ética militar pode levar um ignorante como Ciro Gomes a imaginar que aos soldados cabe suportar até a afronta de seus superiores hierárquicos.

Ao contrário do que ele pensa, erra quem afronta e muito mais quem a suporta com atitude de cordeiro.

Os regulamentos castrenses ensinam que o princípio da obediência está condicionado ao honesto exercício impessoal da autoridade legal, coisa que passa ao largo da sua pretensão caudilhesca.

Não é legal afrontar os subordinados: “Eu mando, eles obedecem”. Só um idiota despreparado pensa assim ou que pode ser assim!

Ordem errada ou fora dos seus limites, não se cumpre, muito menos de um fanfarrão, demagogo e mentiroso.

A Nação brasileira confia, sem restrições, nos homens e nas mulheres a quem entrega o último recurso da razão, pois sabe que as Forças Armadas são disciplinadas, mas não estão mortas e conhecem o seu dever e os limites da autoridade legal!

Cautela, “cãodidato”, porque o silêncio do lobo e o coice do “jumento de carga” são, seguramente, mais perigosos que o latido de um cão, particularmente, quando este é um sarnento vira-latas!

Gen Bda Paulo Chagas, do Exército de Caxias – Texto recebido pela Revista Sociedade Militar

Comentários