Coronel Carlos Alves: “Estou usando tornozeleira SIM, pequenininha, levezinha…  Me excedi… movido por exacerbado sentimento patriótico”

Estou usando tornozeleira SIM, pequenininha, levezinha…  Me excedi… “movido por exacerbado sentimento patriótico”

O coronel da reserva Antônio Carlos Alves Correia se tornou conhecido nacionalmente após fazer declarações duras contra pessoas públicas, consideradas ofensivas por autoridades da república e pelo próprio Comandante do Exército. O oficial é admirado e seguido nas redes sociais por milhares de pessoas que o consideram um formador de opinião. Vários seguidores defendem e dizem que o militar nada mais fez que dizer a verdade e expressar a posição de milhares de brasileiros indignados.

Carlos Alves hoje é monitorado por meio de tornozeleira eletrônica. O militar, que não teve armas recolhidas porque nas as possui, disse que hoje se arrepende das declarações feitas porque estava movido por “exacerbado sentimento patriótico”.

“estou sofrendo as conseqüências de falar o que não devia…”

Realmente eu passei dos limites, indo além da conta, ofendendo exageradamente autoridade. Eu sou responsável, mostro minha cara. Sou responsável e agora a gente espera as decisões da lei. Não tive arma recolhida porque eu não tenho arma, eu sou pacifista… eu matarei o inimigo da minha pátria num momento de guerra… Não se resolve nada no tapa… Quem me conhece a 45 anos… pessoal da minha turma muitos poucos vieram a meu favor… nessa hora vemos quem são os nossos amigos… eu me excedi, pisei na bola mesmo. Eu estava no Brasil, erradamente o MP mandou um documento para Portugal pedindo a minha extradição. Também não estou em prisão domiciliar… a única restrição é não ir a Brasília, estar a 5 quilômetros dos ministros do supremo, hoje eu constituo perigo para os 11 ministros do supremo… aos quais de maneira deselegante, mal educada, eu me dirigi…” diz.

Revista Sociedade Militar