Indulto e saída temporária. Só em 2017 mais de 300 presos em saída temporária cometeram crimes

Só em 2017 mais de 300 presos em saída temporária cometeram crimes

Somente em SÃO PAULO durante o ano de 2017 mais de 300 presos em saída temporária foram novamente recolhidos porque cometeram crimes durante o tempo em que deveriam estar visitando seus país, esposa e/ou filhos.

Sabemos que há diferenças entre indultos e os chamados saidões. Nos indultos os presos são perdoados e nos saídões eles têm que retornar para a cadeia.

De acordo com o texto do decreto de Michel Temer, o indulto de natal poderia ser concedido para pessoas que tiverem cumprido apenas um quinto da pena ( 20% ) em qualquer crime praticado “sem violência” com condenação de qualquer tamanho.

É preciso que o julgador do STF entenda que crime SEM VIOLÊNCIA não significa que pessoas não vão sofrer ou morrer. É o caso de crimes de corrupção, onde verbas públicas que deveriam ser destinadas à saúde são desviadas e por causa disso pessoas sofrem, pessoas morrem.

Como pode-se ainda entender que corrupção é crime sem violência?

Será que é justo que a superlotação de cadeias, o natal ou outras datas comemorativas  NATAL devem motivar a prática de libertar, de forma definitiva ou temporária, criminosos CONDENADOS?

A maior parte dos militares e cidadãos civis parece ser contra os indultos e a favor de que presos cumpram suas penas até o fim.  #indultonão

Robson Augustto / Revista Sociedade Militar