Terroristas podem ingressar no Brasil disfarçados de VENEZUELANOS – Maduro teria fornecido passaporte diplomático para criminosos e terroristas

Terroristas podem ingressar no Brasil disfarçados de VENEZUELANOS – Maduro teria fornecido passaporte diplomático para criminosos e terroristas

_ Para Flávio Bolsonaro a Venezuela pode estar infiltrando traficantes e terroristas no Brasil com o uso de passaporte diplomático

Em entrevista ao ESTADÃO publicada nessa segunda-feira o deputado Eduardo Bolsonaro chama a atenção para um perigo real e imediato,  que é o possível ingresso de terroristas no meio de refugiados venezuelanos ou mesmo de forma legal com passaporte diplomático.

“…  no meio da maioria de pessoas boas pode vir um infiltrado do lado de lá, pois na Venezuela tem presença das Farc e do Hezbollah. Quem garante que no meio desse pessoal não está vindo esse tipo de gente? É por isso que dizemos que o Brasil não pode ser um País sem fronteiras…  Meu medo é que na Venezuela, além do comunismo tem Hezbollah e tráfico de drogas. Tem muita denúncias de uso de passaporte diplomático da Venezuela para o tráfico de drogas. Essa é outra questão que eu vou querer olhar de perto junto ao novo Ministério das Relações Exteriores para ver o que pode ser feito sobre isso.”

terrorista árabes venezuela

Analistas internacionais concordam que o governo de NICOLÁS MADURO se tornou uma espécie de subsidiária de CUBA. O governo FIDEL há muito que vem investindo na formação de lideranças na América Latina. O apoio e injeção clandestina ou oficial de recursos de países administrados por lideranças de esquerda foi o que manteve CUBA de pé – resistindo como único país oficialmente comunista das Américas – mesmo diante do duro embargo imposto pelos Estados Unidos.

Evidências sugerem que a Venezuela, usando expertise de cubanos, tem usado seus órgãos governamentais para fornecer identidades e documentos oficiais para centenas, senão milhares, de pessoas que podem fazer parte de grupos terroristas do Oriente Médio. É estranho que órgãos de imprensa no BRASIL pouco ou jamais mencionem o fato do vice-presidente venezuelano Tareck El-Aissami ser suspeito de manter ligações secretas com muçulmanos engajados em atividades terroristas. El Assami foi sancionado oficialmente pelos EUA e outros países e entidades que lhe pertencem foram proibidas de operar nos Estados Unidos.

Veja algumas informações sobre isso que você não verá em jornais brasileiros

– Departamento do Tesouro – EUA

A Revista Sociedade Militar apurou que o departamento do TESOURO norte-americano considera o vice-presidente venezuelano como um criminoso.

El Aissami crime trafico drogas

O texto diz: …  El Aissami recebeu pagamento pela facilitação de remessas de drogas pertencentes ao chefe do tráfico venezuelano Walid Makled Garcia. El Aissami também está vinculado à coordenação de remessas de drogas para Los Zetas, um violento cartel de drogas mexicano, além de proteger o narcotraficante colombiano Daniel Barrera Barrera e o narcotraficante venezuelano Hermagoras Gonzalez Polanco. Los Zetas…  

– O Wall Street Journal

Em novembro de 2014 o WSJ fala sobre a influência iraniana na Venezuela. – http://www.wsj.com/articles/mary-anastasia-ogrady-the-iran-cuba-venezuela-nexus-1416780671

Na Venezuela e na Bolívia, o Irã passou para o próximo nível, desenvolvendo uma presença militar através de joint ventures nas indústrias de defesa … o Sr. El Aissami é agora governador… Criado na Venezuela por um pai muçulmano libanês e escolado no movimento estudantil de esquerda “Utopia 78” da Universidade dos Andes, foi ministro do Interior da Venezuela de 2008 a 2012. De acordo com um documento de junho de 2014 do Center for a Secure Free Society, com sede em Washington, onde Humse é diretor executivo, “autoridades de inteligência regionais” acreditam que o escritório do Sr. El Aissami usou tecnologia de informação desenvolvida por órgãos de segurança do Estado cubano para dar a pelo menos 173 indivíduos do Oriente Médio novas identidades venezuelanas que são extremamente difíceis de rastrear. 

– O Business Insider

Em janeiro de 2017 o jornal falou sobre a ligação de El Aissami com o Hezbollahhttp://www.businessinsider.com/new-venezuela-vice-president-has-ties-to-iran-hezbollah-2017-1

El Aissami é uma pessoa conhecida no mundo da inteligência dos EUA. Ele é – supostamente – uma parte da rede de tráfico de drogas da Venezuela e tem vínculos com o Irã, Síria e o grupo terrorista libanês Hezbollah. E se Maduro for expulso, como a oposição pede, El Aissami se tornará o presidente de um estado falido no quintal dos Estados Unidos.

A situação é tão complicada que uma intervenção humanitária ou militar realizada na Venezuela corre o risco de fracassar e desandar para um caos completo com risco de demorar décadas para ser resolvido dada a infiltração estrangeira em vários setores da administração pública, movimentos sociais etc.

Milhares de imigrantes 

Principalmente na Amazônia a questão das fronteiras sempre foi complicada. Este articulista há algum tempo, enquanto na ativa, chefiando equipe no extremo norte do país, já teve que pessoalmente advertir militares estrangeiros que ingressavam no país portando fuzis. Há algumas semanas vários militares venezuelanos disfarçados de civis entraram no Brasil e só foram descobertos porque procuravam hospitais para se tratar de ferimentos ocorridos em combate / exercício.

O risco extrapola as fronteiras na medida em que não há como o Brasil realizar uma verificação completa da documentação, incluindo antecedentes criminais, de todos os imigrantes que chegam um dia após o outro não somente pelas fronteiras legais, mas também por outros pontos menos visíveis. A segurança pública tem que ser orientada para que conheça as normas, documentos e possa identificar algo minimamente suspeito em estrangeiros abordados em qualquer local do país. Precisamos também dar respaldo legal para que nossos militares, policiais e outros agentes públicos possam, sem medo de represálias, conduzir para verificação mais apurada qualquer estrangeiro com indícios de ilegalidade.

A coisa hoje é ainda mais complicada do que sempre foi dado ao êxodo ocorrido na região. Ninguém na verdade tem como saber a quantidade de elementos que tem ingressado no Brasil pela região amazônica e muito menos quais as suas intenções. É preciso que uma providência seja tomada com urgência.

Robson Augustto – Militar R1 – Revista Sociedade Militar – Artigo com direitos autorais. Para republicação consulte a editoria.

VEJA: ATENTADO CONTRA BOLSONARO COM O USO DE DRONES, como seria isso.

Imagem montada com: https://pixabay.com/pt/criminoso-pol%C3%ADcia-for%C3%A7a-de-rea%C3%A7%C3%A3o-1577887/