Marinha explica que FISSURAS no MUSEU NAVAL foram causadas por construção do túnel Marcelo Alencar

A MARINHA DO BRASIL emitiu nota a imprensa para esclarecer o que causou e quais as providências adotadas no que diz respeito a supostos problemas estruturais mencionados em artigo publicado na Revista Sociedade Militar que cita fissuras na estrutura do prédio do MUSEU NAVAL na Praça XV.

As fissuras na estrutura – mencionadas no artigo – Grande rachadura no MUSEU NAVAL do RIO DE JANEIRO chama a atenção de transeuntes – foram realmente causadas pelas grandes obras realizadas pelo governo na região. Segundo a DIRETORIA DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E DOCUMENTAÇÃO DA MARINHA o prédio histórico está sendo monitorado, não são necessárias ações de reforço das fundações e o reparo na fachada foi prometido para o primeiro semestre de 2019.

Questionado pela editoria da Revista Sociedade Militar o Consórcio Porto Novo não forneceu data para início das obras, respondeu que: “… encontra-se em fase de desenvolvimento o projeto executivo de engenharia para indicação das melhores soluções para os danos a serem reparados“.

Veja a nota da MARINHA

MARINHA DO BRASIL
DIRETORIA DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E DOCUMENTAÇÃO DA MARINHA
NOTA À IMPRENSA
Rio de Janeiro-RJ.
Em 12 de dezembro de 2018.

A Marinha do Brasil, por meio da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM), informa que, à época da construção do Túnel Marcello Alencar, apareceram fissuras no prédio do museu. Contactado, o consórcio Porto Novo, responsável pelas obras em questão, contratou duas empresas de engenharia para monitorar o edifício do Museu Naval e outros no entorno, também impactados.

Realizado entre abril de 2016 e agosto de 2018, o monitoramento gerou um laudo, em outubro deste ano, onde consta que “não são necessárias ações de reforço das fundações da edificação em função das análises decorrentes das vistorias realizadas” e recomenda “a recuperação estética” da fachada. O consórcio Porto Novo se comprometeu a realizar os reparos necessários no 1º semestre de 2019.

Revista Sociedade Militar. Nota recebida em 12 de dezembro de 2018.