O governo BOLSONARO e a Renovação Carismática – artigo de opinião / colaborador

O GOVERNO DEVE SE APROXIMAR DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA FIM DESCONSTRUIR O MOVIMENTO PROGRESSISTA DA TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO. UMA OPINIÃO…..
CMG FN RRM EDUARDO SOBREIRA

Recentemente foi informado pela grande mídia que o Governo Bolsonaro teria oposição dos movimentos católicos progressistas. Os movimentos progressistas se compõe de *1:
“Desde as suas primeiras edições, muito se escreveu sobre as origens e a evolução do Fórum Social Mundial (FSM) e dos outros Fóruns locais e regionais que se multiplicaram nos últimos anos. Tais origens remontam a ONGs transnacionais, intelectuais franceses, novos movimentos sociais e, mais recentemente, ao movimento antiglobalização da década de 1990 (Mertes 2004). No entanto, pouco ou nada foi dito sobre outro ator direta ou indiretamente envolvido na concepção, organização e evolução dos Fóruns: a Igreja Católica Progressista1.

Na medida em que a influência da Igreja não aparece à primeira vista, é preciso voltar aos princípios e às práticas da Teologia da Libertação e da Igreja Católica Progressista para entender plenamente o tipo de influência implícita que a Igreja exerceu sobre o Fórum. A Igreja Católica Progressista é um conjunto de organizações e indivíduos inspirados pela Teologia da Libertação e engajados em realizar mudanças profundas na Igreja Católica e na sociedade. Ao contrário do que aconteceu em outros países latino americanos, no Brasil a Igreja Católica Progressista esteve e está presente em todos os níveis da Igreja. Entre os progressistas encontram-se cardeais, bispos e padres, além de ordens e congregações.

Em muitos sentidos, a Igreja Católica Progressista foi o ator social mais importante do período de formação da sociedade civil brasileira contemporânea. A Igreja Católica Progressista criou, promoveu a apoiou movimentos sociais modernos em todo o Brasil, tanto nos centros urbanos quanto na zona rural. Durante muitos anos – a começar pelo trabalho realizado na constituição das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) nos anos 1960 -, foi a Igreja Católica Progressista que esteve no centro das lutas de pequenos agricultores deslocados/atingidos por barragens, comunidades indígenas, pescadores, trabalhadores urbanos e donas-de-casa das periferias das grandes cidades, em bairros pobres e favelas. Além disso, a Igreja Católica Progressista atuou em comunidades carentes para organizar as pessoas que perderam com a modernização autoritária da economia do país, denunciando publicamente as injustiças sociais na tentativa de influenciar as decisões da elite política brasileira e chamando a atenção internacional para o problema dos direitos humanos no Brasil (Mainwaring 1986; Bruneau 1992). .”

Na minha visão particular é nítida a penetração dos valores, ações e movimentos comunistas, de esquerda, descaracterizando em parte a visão solidária, crística que nos diz o Catecismo da Igreja Católica na DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA *4 : ““A solidariedade é uma virtude eminentemente cristã que pratica a partilha dos bens espirituais mais ainda que dos materiais.” Assim, “sem esse fundamento, a solidariedade pode se confundir, como muitas vezes se confunde, com simples filantropia, ou com uma certa visão de que todos somos iguais e, portanto, deveríamos ter as mesmas coisas (reduzindo a solidariedade ao material, por exemplo).

Voltando a definição do começo, poderíamos inclusive dizer que ser cristão, no fundo, é reconhecer essa solidariedade fundamental entre os homens, criaturas de Deus. Mas não parar por aí. Há de reconhecer-se também que todos estão chamados a serem filhos de Deus, batizados, e talvez essa seja a maior solidariedade que está a cargo dos cristãos. Fazer brilhar para o mundo inteiro a beleza do chamado de Deus a vivermos a filiação divina” *3. Assim, reitero que as transformações sociais propostas, tem nos movimentos citados a seguir , a meu ver, um viés fundamentalmente político, com parte da essência no viés socialista que prega uma ditadura do proletariado até com uso da violência, em vez de ver a construção pelo sistema meritocrático, educacional, industrial, moral, produtivo, inclusivo, democrata, empresarial com um viés amoroso e crístico . Este contexto das transformações sociais vinculadas a revolução do proletariado pregadas pela Igreja Católica Progressista ou vinculadas a Teologia da Libertação levarão historicamente a governos não democráticos e com uma casta de governantes. Por isto cabe urgentemente a aproximação ao Movimento Carismático Católico, nascido no viés democrático e produtivo.

O Movimento Carismático Católico, que teve o apoio do Papa João Paulo II, que, aos 30 de maio de 2004, na Solenidade de Pentecostes, proclamou: “Longa vida aos carismáticos!” e do atual Papa Francisco, em sua pregação no 3º Retiro Mundial de Sacerdotes, em Roma, estimulou: “Peço a todos e a cada um que, como parte desta corrente de graça da Renovação Carismática, organizem Seminários de Vida no Espírito Santo em suas paróquias, seminários, escolas, a fim de compartilhar o Batismo no Espírito” (12 de junho de 2015). *2. No Brasil, um expoente deste movimento, desde 1978, é iniciado o movimento da Comunidade Canção Nova (6) sob a liderança do então sacerdote religioso salesiano Pe. Jonas Abib, na cidade de Cachoeira Paulista – SP. Outro grande padre é o falecido padre Leo, que tem inúmeros vídeos na mídia, os quais recomendo com empenho para Católicos principalmente e para todos que tem interesse quanto a forma espiritual e construtiva que nos educa na Bíblia.

Assim, também, a teologia da libertação é condenada pelo Padre Ricardo em uma entrevista na Canção Nova TV, https://www.youtube.com/watch?v=o2HglmaKhws, segundo o Padre Ricardo, supracitado, a teologia da libertação quer acabar com o sentido anagógico, transcendental, espiritual….Assim, segundo o citado, os milagres de Cristo são a entrada de Deus na sociedade através do próximo. A teologia libertação busca uma visão em modelo científico. Para o Padre Ricardo os milagres de Jesus, como o do cego ocorreu para a inclusão do ser humano no convívio social. Segundo o referido Padre a Teologia da libertação corta a transcendência de Deus e vê tudo da Bíblia como movimento sociológico. Sugiro a vista em https://www.youtube.com/watch?v=IdqDgLgepzI do Sr Professor Aquino da Canção Nova ONDE comenta as críticas do Papa Bento XVI a teologia da libertação com com viés marxista, pois o comunismo gerou a morte de milhões de pessoas.

Segundo o Papa Francisco , a Renovação carismática “é uma corrente de graças, um sopro renovado do Espírito a todos os membros da Igreja, leigos, religiosos, sacerdotes e bispos. É um desafio para todos nós. Esta obra soberana do Espírito suscitou homens e mulheres renovados, depois de terem recebido a graça no Batismo, no Espírito, deram vida a associações, comunidades ecumênicas, escolas de formação e de evangelização, congregações religiosas, comunidade de ajuda aos pobres e necessitados”. As comunidades nascidas da RCC, como o Shalom, a Canção Nova, Obra de Maria, Pantokrator, Palavra Viva, Arca da Aliança… e tantas outras, que já são mais de 500 só no Brasil, são uma poderosíssima força de evangelização no Brasil e no mundo, com seus filhos capacitando-se cada vez mais na teologia e em outras ciências. Não é à toa que no Pentecostes de 1998 o Papa São João Paulo II se referiu a elas como sendo “a resposta do Espírito Santo para o novo milênio”. *5

Concluindo, é importante o governo se aproximar dos membros da Renovação Carismática, como o faz com alguns pastores e Igrejas evangélicas. Deus e Cristo e o Espírito Santo são Um. Nós brasileiros nascemos em uma terra abençoada, vasta, com uma população pacífica, assim todos devemos nos unir pelos princípios básicos da palavra de Deus – a Práxis Cristã. Somando a isto, respeitosamente , entendermos, da urgente necessidade da moral e cívica nas escolas que nos mostra o reto agir e o reto pensar. 

Na democracia há espaço para todos desde que eixados no princípios da Constituição, a citar *6 :¨” São os princípios constitucionais gerais informadores da ordem jurídica nacional. São emanados das normas constitucionais, o que gera alguns desdobramentos como: o princípio da supremacia da Constituição Federal, o princípio da legalidade, o princípio da isonomia, dentre outros. Assim, a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 apresenta um conjunto de regras e princípios básicos essenciais ao cidadão: Princípio da Legalidade;Princípio da Liberdade; Princípio da Igualdade; Princípio da Ampla Defesa; Princípio da Isonomia; Princípio do Contraditório;Princípio da Simetria; Princípio da Propocionalidade da Lei.

Assim, o Congresso Nacional deve ter eleitos que se vinculem a prosperidade nacional, ao bem comum e a justiça. Voto é coisa séria. 

*1http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-85872009000200009
*2.https://pt.wikipedia.org/wiki/Renova%C3%A7%C3%A3o_Carism%C3%A1tica_Cat%C3%B3lica
*3 https://www.a12.com/jovensdemaria/artigos/crescendo-na-fe/o-significado-da-solidariedade-para-a-igreja-catolica
*4http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/justpeace/documents/rc_pc_justpeace_doc_20060526_compendio-dott-soc_po.html
*5https://cleofas.com.br/papa-francisco-e-a-renovacao-carismatica-catolica-rcc/
*6 http://principios-constitucionais.info/