ODEBRECHT permanece incólume na VENEZUELA. “Maduro no poder é garantia de impunidade”

ODEBRECHT permanece incólume na VENEZUELA. “maduro no poder é garantia de impunidade”

Podemos dizer que fora da Venezuela talvez um dos maiores interessados em que Nicolás Maduro permaneça no poder é a ODEBRECHT. Segundo a diretora da TRANSPARÊNCIA VENEZUELA, Mercedes de Freitas, o caso Odebrecht é o maior caso de corrupção que já existiu no país. Portanto, conclui-se que Nicolás Maduro no poder é garantia de impunidade para essa e outras empresas que agiram no país.

Isso nos faz tocar em assunto pouco mencionado, levantando uma questão: Será que não há o dedo de empresas como a Brasileira Odebrecht e outras aqui e em outros países que participaram dos esquemas de MADURO e CHAVES por traz dessa demora em se aplicar medidas realmente eficazes para se acabar com a crise no país? Empresas desse porte teriam poder para influir nas decisões de governos e – por exemplo – ser a causa da má vontade do parlamento brasileiro em aceitar que se imponha sanções duras contra Nicolás Maduro?

O fim da crise venezuelana e consequente inicio de um novo governo certamente marcaria o início de uma devassa com consequências devastadoras para empresas que já sofrem milionários processos.

Mercedes De Freitas explicou que, apesar do número de países envolvidos e dos políticos apontados, a complexidade do sistema permite ver que ainda não foi descoberto o que realmente aconteceu. “… não foi investigado nada depois que saiu a promotora  Luisa Ortega Diaz e sua equipe… ainda há muito a esclarecer”, disse.

“O Supremo Tribunal não apenas omitiu ações na promoção e julgamento daqueles que tentam contra o patrimônio público, mas também boicotou investigações relacionadas a supostos atos de corrupção”

Obviamente, quando a justiça é omissa em um caso dessas magnitudes, é porque o poder está envolvido e não quer ser investigado. Citamos o Relatório de Corrupção de 2017, uma longa lista de pessoas responsáveis ​​pela assinatura de contratos com a empresa. A pouca informação que ocasionalmente vem à luz nos diz que os promotores que estavam encarregados da investigação não fizeram seu trabalho e, se o fazem, é absolutamente secreto, porque ninguém sabe de nada.

Veja: Luisa Ortega Dias e imagens chocantes de Oscar Peréz

Outros países

A diretora menciona ainda o caso da República Dominicana: “Por exemplo, nada acontece na República Dominicana, apesar dos protestos maciços que a sociedade civil vem realizando há meses exigindo que a impunidade termine. A justiça, no entanto, parece estar fortemente influenciada pelo Poder Executivo…”

 “O que aconteceu com a Odebrecht deve ser analisado como um caso de crime organizado, e essa é a possibilidade de se ter justiça transnacional por trás desses casos…  Para nós é muito óbvio que  Marcelo Odebrecht mentiu no Tribunal de Nova York, porque os números não coincidem. Em todos os lugares eles pagaram subornos mínimos de 3% sobre o valor das obras, o que dá muito mais do que os 98 milhões de dólares declarados.

Com dados de EL NACIONAL e La prensa

Revista Sociedade Militar