Forças Armadas

CRISE MILITAR a vista?  Graduados da RESERVA e “antigões” na ativa não se conformam em ser deixados para trás pelo governo

CRISE MILITAR a vista?  Graduados da RESERVA REMUNERADA e “antigões” na ativa não se conformam em ser deixados para trás pelo governo

Bolsonaro corre o risco de sofrer a 1ª manifestação, logo de militares das FA, contra o governo. Eu disse muito antes que generais poderiam atrapalhar o governo Bolsonaro…” Diz um militar em discussão nas redes sociais.

Suboficial da FAB: “estou indignado… como pode haver meritocracia só para MILITARES DA ATIVA? daqui a dois anos criam outra gratificação “meritocrática” por – sei lá – altíssimos estudos e qualificam cursos já existentes como tal, e criam novos cursos… e o salário da reserva vai se afastando do da ativa… paridade acabou mesmo… decepção… “

A imprensa comum não faz a mínima ideia, mas nos quartéis a coisa está fervendo, militares da reserva e na ativa prestes a ser transferidos para a reserva estão indignados com alguns itens do projeto de Reestruturação da carreira.

“estão criando cursos que garantem novas gratificações só para quem está na ativa… é uma forma de – depois da auto-gratificação até morrer de 10% de representação pra os of-generais – calar a boca da tropa na ativa dando uma vantagem maior para eles e deixar a reserva à míngua… Isso é decepcionante! E se os da ativa se calarem no futuro farão a mesma coisa com eles. Vão criando cursos e especializações que não alcançam quem já saiu… Paridade entre ativa e reserva no Brasil é só para os generais! … …

Se fosse um curso com prejuízo orgânico – como Mergulhador, raio x… operador de submarino… ok, mas inventar cursos de carreira pra garantir reajuste só pra uns em detrimento de outros é uma vergonha… vai virar uma bagunça… Um cara na mesma graduação, mais moderno, ganhando 2 mil a mais que outro mais antigo… ” Diz um suboficial da FAB em um grupo de whatsapp que reúne militares da Força Aérea e MARINHA, que prometem ingressar na justiça contra o governo se a PARIDADE entre ativa e reserva não for garantida.

É notório que militares das forças armadas, principalmente graduados da MARINHA e FORÇA AÉREA, não se conformam com o projeto de lei 1645/2019, a famosa REESTRUTURAÇÃO, apresentado pelo governo para o congresso nacional. Para eles o governo fez o que era costume se fazer nas polícias militares no passado, que é inventar vantagens e gratificações que só alcançam militares da ativa, deixando os militares da reserva em situação de desvantagem por conta de sua menor influência.

Alguns temem que o parlamento pode exigir a qualquer momento que a coisa toda seja votada e aprovada rapidamente como condição para a reforma da previdência. “esse governo é refém do congresso, infelizmente, o que eles exigirem o governo vai dar. Até a nossa cabeça.. se votarem já era, vira lei. ” diz um SUB antigão, com mais de 60 anos de idade.

Veja o texto que os militares tentam levar até JAIR BOLSONARO:

https://pt.scribd.com/d… -Para-o-Problema-Altos-Estudos-Pl-1645-2019

Entre os adicionais criados pelo MINISTÉRIO DA DEFESA está o adicional por ALTOS ESTUDOS que atualmente – além de oficiais superiores – no que diz respeito a graduados somente alcança oficiais e os subtenentes do Exército Brasileiro, segundo informam militares ouvidos.

Pelo que os militares contam, os comandantes da Marinha e Força Aérea deixaram seu subordinados em situação de desvantagem em relação a seus pares do Exército. “… o exército mostra mais uma vez porque é a força mais influente, tudo indica que está se preparando para esse momento há algum tempo“, diz outro militar.”

Um general ouvido hoje sobre o assunto disse que: “os comandos da Marinha e FAB estavam presentes na confecção do documento”.

eles são mais unidos… lá o general se preocupa com o sargento, o cara pisa na lama com a tropa… ´vi uma foto do Villas Bôas sentado no chão cara!!! general de 4 estrelas. Aqui o almirante quer ser servido pelo sargento e comer com talher de prata´… tem muito “antigão de mara” preocupado, amigos falam que vão tentar ficar mais um tempo pra fazer o curso, mas parece que não vão deixar segundo falaram… ”, diz um Suboficial da Marinha.

O adicional criado de fato no momento só alcança suboficiais do Exército Brasileiro. Porém, em alguns meses deve alcançar também os militares da Marinha e aeronáutica na ativa. Essas forças estão “na correria” para criar cursos correspondentes a ALTOS ESTUDOS. A Força Aérea criou essa semana um grupo de trabalho com esse objetivo.

Um site criado para discutir o assunto e sugerir soluções (https://suboficiaisesubtenentes.info/) em menos de 24 horas recebeu o incrível número de 19 mil acessos de militares da FAB e MARINHA. Grupos de whatsapp são criados e rapidamente lotam de militares interessados em discutir sobre o imbróglio.

Como militares do quadro especial de sargentos estão também insatisfeitos com os percentuais a eles atribuídos a coisa pode estourar e se transformar em mais uma crise em um momento complicado, quando se busca consenso. No dia 15 próximo representantes de militares – entre eles a senhora KELMA COSTA – vão participar de audiência pública sobre o assunto no SENADO, associações e militares pretendem usar o momento para estabelecer pactos e articulações para mudar o projeto do governo.

Kelma Costa é considerada pivô do momento complicado vivido poucos dias antes da apresentação do PL da reestruturação. O projeto havia vazado e militares indignados com os percentuais e com a gratificação de representação dada de presente aos generais lotaram as redes sociais de Jair BOLSONARO de reclamações. Um áudio gravado pela senhora kelma foi veiculado aos milhares ela rede.

Questionados pela Revista Sociedade Militar alguns militares opinaram que o Presidente da República não deve ter conhecimento dessa situação e que talvez uma manifestação em frente ao palácio do Planalto ou alvorada pudesse ajudar. Por enquanto o que mais fazem é enviar mensagens e dar telefonemas para deputados próximos do presidente, como o deputado Hélio Lopes, que é subtenente do Exército.

o Power Point que rola por aí mostra suboficial recebendo Altos Estudos, ele deve ter confiado nisso… mas a coisa só vale no momento para o EB… não queremos gerar problemas, todos fizemos campanha para Bolsonaro, estamos com ele há anos, mas isso é uma perda pro resto da vida… similar a MP2215… não podemos ficar quietos… ”, diz um Suboficial telegrafista R1, da Marinha.

Revista Sociedade Militar

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top