Exército Brasileiro prepara contingente paulista para acolher imigrantes venezuelanos em Roraima 

Exército Brasileiro prepara contingente paulista para acolher imigrantes venezuelanos em Roraima 

Cerca de 500 militares das unidades de SP apoiarão ações humanitárias na Operação Acolhida durante três meses 

Osasco (SP) – Em abril, o Comando Militar do Sudeste realiza a preparação dos militares que participarão da Operação Acolhida, que visa acolher imigrantes venezuelanos na fronteira com o país vizinho e, posteriormente, realizar a interiorização deles.

Cerca de 500 militares das Unidades de São Paulo vão compor o 5º contingente da Força-Tarefa Logística Humanitária. Eles embarcam para Roraima em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) em três levas. Lá, permanecerão por três meses, prestando ajuda humanitária.

Os pilares da operação, sob a ótica das Forças Armadas, são ordenar a fronteira, abrigar os desassistidos e realizar a posterior interiorização dos imigrantes. A Operação Acolhida é um esforço conjunto da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da FAB, e possui também um trabalho junto a agências governamentais.

Preparo do contingente 

A preparação conjunta da tropa que seguirá para Roraima ocorre no 4º Batalhão de Infantaria Leve (4º BIL), em Osasco (SP). Na semana de 7 a 12 de abril, esses militares assistirão a palestras de ambientação sobre a situação na fronteira com a Venezuela, receberão instruções sobre como acolher os imigrantes e executarão exercícios de simulação.

O trabalho na fase de preparo contará com o apoio de agências, como o Alto Comissariado das Nações Unidas (ACNUR) e a Organização Internacional de Migração (OIM), e de estudantes da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Operação Acolhida 

Em 2018, o Presidente da República reconheceu a situação de vulnerabilidade no Estado de Roraima decorrente do fluxo migratório provocado pela crise humanitária na República Bolivariana da Venezuela.

Tal imigração em massa resulta no aumento populacional desordenado e imprevisível, na dificuldade de prestação de serviços públicos essenciais e na necessidade de acolhimento a essas pessoas.

Dessa forma, o Presidente da República autorizou a execução da Operação Acolhida, sob a coordenação do Ministério da Defesa, com o emprego dos meios necessários para o apoio logístico a órgãos públicos, com vistas a cooperar no desenvolvimento de atividades humanitárias no Estado de Roraima.

Como desdobramento, coube ao Exército Brasileiro a missão de realizar ações necessárias ao acolhimento humanitário de imigrantes venezuelanos, sendo estabelecida a Força Tarefa Logística Humanitária de Roraima.

recebido do comando Militar do Sudeste – [email protected]

Publicado na Revista Sociedade Militar