Bolsonaro concede superpoderes para o general Santos Cruz

Bolsonaro concede superpoderes para o general Santos Cruz

Ao contrário do que vários sites, incluindo o antagonista, vêm dizendo, nada indica que o presidente da república Jair Bolsonaro vá demitir o general Santos Cruz.  

O site O Antagonista chegou a publicar nessa quarta-feira uma nota que diz que Bolsonaro teria confessado que os militares estão contra ele.

Na verdade os últimos fatos indicam que a coisa caminha em direção contrária, por meio do  decreto 9.794, de 15 de maio,   o presidente Jair Bolsonaro dá uma demonstração de confiança na visão política do general, que se torna agora o responsável por grande parte das nomeações realizadas por membros do governo. A Santos Cruz também caberá supervisionar nomeações realizadas por outros órgãos, com poder de – inclusive – vetá-las caso julgue que as decisões foram equivocadas ou o historio dos nomeados revele alguma contra-indicação.

O general também será o encarregado de avaliar as indicações para reitorias de universidades públicas, questão considerada pela ala ideológica do governo como ponto crucial para a definitiva vitória na guerra cultural.

“Compete à Secretaria de Governo da Presidência da República …decidir pela conveniência e oportunidade administrativa quanto à liberação ou não das indicações … avaliar as indicações dos incisos II a V do caput do art. 14, do inciso V docaputdo art. 15, de dirigente máximo de instituição federal de ensino superior…”

O site O Antagonista chegou a publicar nessa quarta-feira uma nota que diz que Bolsonaro teria confessado que os militares estão contra ele.

Com a decisão o presidente envia para todos um sinal de que quer evitar o confronto com a esquerda e pretende, à moda dos militares, ir mais devagar com o processo de reversão no aparelhamento e hegemonia obtidos pela esquerda nas últimas décadas.

Revista Sociedade Militar