Ataques contra a Revista Sociedade Militar – Falar a verdade está incomodando!

Estamos acostumados com a insatisfação em todos os níveis. Em um passado longínquo, quando ousamos dizer que BOLSONARO fazia campanhas a baixíssimo custo e ainda estava avançando mais que a maioria, fomos atacados. Quando dissemos que nos anos 80 o deputado era visto como um incômodo para os generais também fomos atacados. Pouco depois, em 2016, quando dissemos que Bolsonaro era um fenômeno tal qual TRUMP já era, fomos atacados.

Quando nos negamos a participar de partidos, campanhas ou servir de porta-voz para instituições, públicas ou privadas, também incomodados e novamente fomos atacados. No Brasil, infelizmente, se você não se insere em um grupo passa a ser visto como opositor. Nada é mais distante da verdade do que um pensamento como esse. 

Não podemos nos aliar a partidos porque, independente da sigla, políticos têm que ser vigiados, fiscalizados pela mídia e sociedade e – como meio de comunicação – precisamos de liberdade para informar.

Certamente há também aqueles que acham que militares NÃO têm o direito de contestar projetos de lei que tramitam no PARLAMENTO. Só uma mente doentia poderia achar que isso é indisciplina. Projetos de lei têm que ser discutidos pela sociedade e militares fazem parte dessa sociedade. Talvez o texto de advogado especialista que disse que militares podem procurar o parlamento para discutir projetos tenha incomodado, talvez a nota do General Rômulo Bini sobre o cuidado que se tem que tomar nesses últimos tempos seja um alerta que também incomode.

Quando dissemos que a intervenção militar seria feita pelo VOTO… fomos atacados, quando dissemos que NÃO exste BASE RUSSA na Amazônia ou que caças venezuelanos NÃO tem como atacar Brasília também fomos atacados. E assim será sempre que ousarmos contestar o absurdo, todas as vezes que ousarmos dizer a verdade certamente quem tem interesse na mentira fica incomodado.

Continuamos com nosso lema: “Sociedade Militar, o ser humano é nossa melhor arma”.

Vamos ao último ataque que rola pelas redes.

Revista Sociedade Militar