Mensagens capturadas no celular de MORO viram noticia nas redes da esquerda e já são usadas contra o ex-juiz e Deltan Dallagnol

Falta de cuidado com a segurança digital pode custar caro a Sergio Moro e ao governo Bolsonaro como um todo. Mensagens vazadas já viraram noticia nas redes da esquerda e já são usadas contra a operação lava jato

É mais do que obvio que autoridades da república devem usar aparelhos com protocolos de comunicação especiais, totalmente criptografados. Qualquer um que usa a internet há pelo menos 5 anos sabe que o TELEGRAM é um aplicativo feitor por russos que já foi hackeado mais de uma vez. É de se admirar que o MINISTRO da justiça, que tem a sua disposição membros da polícia federal, se deixe surpreender numa situação como essa.

Em 2016 hackers obtiveram pelo TELEGRAM acesso a dados de pelo menos 15 milhões de usuários no IRAN.

O INTERCEPT divulgou nesse final de semana, “coincidentemente”, uma série de mensagens aparentemente obtidas de forma ilícita, é preciso mencionar, que teriam sido trocadas por meio do aplicativo TELEGRAM entre Sérgio Moro e o Procurador Deltan Dallagnol.

Juristas contactados pela Revista Sociedade Militar explicam que provas obtidas por meios ilícitos, como parece ser o caso, não podem ser utilizadas contra Moro e os procuradores para fins de indiciamento. Mas, em contrapartida, provas desse tipo podem ser utilizadas em favor dos réus e que esse episódio pode sim de alguma forma ajudar o ex-presidente LULA.

O periódico diz que é no mínimo antiético um juiz dar dicas para apuração de fatos que ele mesmo ira julgar posteriormente. Infelizmente a ingenuidade de Sérgio Moro pode á ter-lhe gerado um grande problema, a esse momento em Brasília o gabinete de crise de Bolsonaro já deve estar reunido discutindo a coisa toda.

O MINISTRO DA JUSTIÇA DE BOLSONARO parece ter cruzado a fronteira que separa juiz e investigador numa conversa de 7 de dezembro de 2015, quando ele passou informalmente uma pista sobre o caso de Lula para que a equipe do MP investigasse. “Entao. Seguinte. Fonte me informou que a pessoa do contato estaria incomodado por ter sidoa ela solicitada a lavratura de minutas de escrituras para transferências de propriedade de um dos filhos do ex Presidente. Aparentemente a pessoa estaria disposta a prestar a informação. Estou então repassando. A fonte é seria”, escreveu Moro.”… diz o Intercept.

Algumas mensagens

 “Caro, STF soltou Alexandrino. Estamos com outra denúncia a ponto de sair, e pediremos prisão com base em fundamentos adicionais na cota. […] Seria possível apreciar hoje?”, escreveu Dallagnol.

“Não creio que conseguiria ver hj. Mas pensem bem se é uma boa ideia”, alertou o então juiz. Nove minutos depois, Moro deu outra dica ao procurador: “Teriam que ser fatos graves”.

Sobre as mensagens o Ministro da justiça Sérgio Moro disse:

“Sobre supostas mensagens que me envolveriam publicadas pelo site Intercept neste domingo, 9 de junho, lamenta-se a falta de indicação de fonte de pessoa responsável pela invasão criminosa de celulares de procuradores. Assim como a postura do site que não entrou em contato antes da publicação, contrariando regra básica do jornalismo.

Quanto ao conteúdo das mensagens que me citam, não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado, apesar de terem sido retiradas de contexto e do sensacionalismo das matérias, que ignoram o gigantesco esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato.”

A reportagem completa está no INTERCEPT BRASIL.

Revista Sociedade Militar