Política Brasil

A FLIP não é mais de ESQUERDA?

A FLIP não é mais de ESQUERDA

Ao longo dos últimos anos vários cidadãos que conheço deixaram de comparecer a FLIP por conta do viés esquerdista que predomina nas palestras e demais eventos ocorridos. A coisa está desagradável, salvo raríssimas exceções, parecia um clubinho da chamada intelligentzia esquerdista, permeada pelo politicamente correto e afagos a Lula, Dilma, Chê e outros lixos-humanos.

A cidade de Paraty definitivamente é de direita e conservadora, fato facilmente comprovado pelo resultado das eleições presidenciais de 2018, quando Haddad tomou uma verdadeira surra de Bolsonaro.

O resultado foi 70% a favor de Bolsonaro contra apenas 30% dos votos para o petista Fernando Haddad

A administração do evento não fala sobre a falta que fazem os consumidores com viés á direita, ou conservadores. Como parte significativa da renda da FLIP entra por conta do consumo de bebida, comida e hospedagem, e não somente da venda de livros, pode ser difícil estimar ao certo o tamanho do prejuízo.

Em 2017, por exemplo, Lázaro Ramos foi um dos palestrantes, em 2014 foi Marcelo Rubens Paiva, entre muitos, sem contar que a palestra inaugural da FLIP – em 2003 – foi feita por Eric Hobsbawm, considerado o maior intelectual marxista dos últimos anos. Em 2016 viu-se até um “fora, Temer” projetado na tela do datasshow da teda dos autores.

Parece que a coisa chegou ao fim, nessa sexta-feira – 12 de julho de 2019 –  o jornalista Glenn Greenwald, que divulgou supostas conversar entre Moro e promotores da lava-jato,  foi bastante atrapalhado por grupos de turistas e moradores da cidade que – ao soltar fogos e cantar o hino nacional – mostraram que a coisa no país está mudando realmente, a esquerda não tem mais a hegemonia em nenhum lugar.

Revista Sociedade Militar

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top