Forças Armadas

Caçadores de recompensas no BRASIL – Quem se arrisca por MIL REAIS? Recompensas BAIXAS e pouca confiança no sistema que garante o ANONIMATO desestimulam prática

“como assim? O cidadão liga pra lá, se arrisca, diante da corrupção generalizada que envolve até membros da alta política… não tem muita certeza se quem atende vai lhe entregar e ainda pode não receber se na hora da prisão tiver um tiro… ou qualquer coisa interpretada como violência!!!??? Só pode ser sacanagem ou brincadeira isso… “


Quer ganhar 30 mil reais? Caçadores de RECOMPENSAS! Recompensas BAIXAS e pouca divulgação do sistema que garante o ANONIMATO desestimulam prática no Brasil

eu acho que a cara deles deveria ser colocada em outdoors por todo o estado, e que as recompensas deviam ser maiores. A polícia gasta com certeza muito mais que mil ou dois mil reais para prender um traficante, sem contar o risco de morte de agentes… estimular a denúncia economiza dinheiro e vidas. ”, diz um policial MILITAR ouvido pela Revista Sociedade Militar

Nos Estados Unidos da América a recompensa para pessoas que forneçam informações que levem a prisão de fugitivos procurados pela justiça normalmente ultrapassa o valor de 100 mil dólares, equivalente á 400 mil reais. A polícia australiana oferece até 1 milhão de dólares por informações sobre alguns criminosos. No Brasil a recompensa mais comum para informações que levem a prisão de indivíduos procurados pela justiça é de 1 mi reais.

O Rio de janeiro é justamente o local onde a criminalidade é mais violenta e mais interfere na rotina dos moradores. No entanto, o fornecimento de dados sobre localização, esconderijo ou outras que levem a captura de um assassino de policial por exemplo, pode valer apenas 5 mil reais. Os valores máximos raramente ultrapassam 30 mi reais.  Em São Paulo o governo costuma ser mais generoso,  em agosto a secretaria de segurança do estado ofereceu 50 mil reais por informações que ajudassem a encontrar a policial JULIANE, sequestrada por marginais.

Os governos do RIO e de SÃO PAULO oferecem sistemas seguros para recebimento de denúncias anônimas e acompanhamento das informações sobre a prisão de criminosos ou elucidação de crimes. Se a informação for realmente útil o saque pode ser realizado de forma anônima em qualquer caixa eletrônico.

Algumas pessoas tem comentado sobre a recente alteração nas regras do disque denúncia, que prevê que as recompensas só serão pagas se não ocorrer violência nas operações que capturarem os denunciados. Será justo não pagar uma recompensa por uma denúncia que levou a uma prisão, por conta de eventual violência ocorrida, algo que foge do controle do denunciante?

 

Todavia, ao que parece, a imprensa – notadamente pouco estimulada pelo estado – dá pouca divulgação às informações sobre indivíduos procurados e as recompensas oferecidas. Talvez acredite, como no caso da posse de armas, que a sociedade não é suficientemente madura para administrar o poder de denunciar o criminoso que se esconde na casa ao lado.

Questionamos alguns cidadãos comuns se sabiam sobre a oferta de recompensas por denúncias que levem a prisão de criminosos procurados, alguns não conheciam. A maior parte conhecia o disque denúncia, mas não sabia que se oferece recompensas por criminosos procurados e muito menos sabe nome ou endereço dos sites onde pode-se ver a lista de procurados. Outros, que conhecem o site, desconfiam. Um dos cidadãos questionados disse: “tem muito policial envolvido em falcatruas, até comandante de batalhão… Quem me garante que não vão me localizar de eu fizer uma denúncia?

Não há dúvida de que o DISQUE DENÚNCIA é um sistema já bastante conhecido e útil. Só em junho de 2019 form mais de 5 mil denúncias. Todavia, no ponto de vista de vários militares ouvidos o estado deveria investir bem mais nesse processo de obtenção de informações, dando mais clareza e confiabilidade ao mesmo, mostrando como as informações são usadas e como o cidadão que colabora pode, com anonimato e segurança, sacar sua recompensa, de uma só vez ou paulatinamente.

No momento em que tantos “especialistas” em segurança falam em investir em inteligência, a sociedade deve sim ser cada vez mais estimulada e jamais poupada de participar ativamente do combate à criminalidade. A pré-ciência de que a sociedade está “de olho” pode servir como ótimo elemento de dissuasão, aumentando a sensação de insegurança dos criminosos.

Site de Procurados NO RIO.

Robson Augustto – Militar na Reserva – Cientista Social –  Jornalista

Revista Sociedade Militar

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top