Forças Armadas

“Fui eleito para dar suporte a Bolsonaro” – Subtenentes e sargentos estão indignados com o comportamento de deputado Hélio Lopes

Militares das Forças Aradas tem olhado com um misto de decepção e desconfiança para o deputado federal Hélio Lopes. O deputado tem evitado comentar o PL 1645/2019, alvo de grande disputa entre oficiais generais e graduados, principalmente da Marinha e Aeronáutica.

Questionado nas redes sociais o deputado, que na campanha de 2014 disse que defenderia os militares em questões importantes, como escalar de serviço melhores, atendimento médico melhor etc., disse que não se meterá em questões internas do exército Brasileiro e que foi eleito apenas para dar suporte ao governo Bolsonaro.

“Helio Lopes (@depheliolopes) tweetou: @jcsurfe Já me manifestei. Fui eleito para dar suporte ao Governo Jair Bolsonaro e estou fazendo isso. 🙏🏿🇧🇷 As Forças Armadas tem autonomia para gerenciar questões internas.”

Indignados sargentos divulgaram várias imagens registradas nessa terça-feira, quando o parlamentar apareceu na comissão especial que estuda o projeto mas não se pronunciou e se sentou ao lado da deputada Perpétua Almeida, com a qual trocou algumas palavras ao pé do ouvido. A deputada Perpétua é d PCdoB e na época em que Jaques Wagner era o Ministro da Defesa ocupava um cargo de general, ela era o SEPROD, chefiava a Secretaria de Produtos de Defesa. Flagrado Hélio disfarçou e uma das fotografas registrou um sorriso contido, meio que envergonhado.

Graduados que transitam no Congresso Nacional contam que a Assessoria Parlamentar Militar que funciona dentro do Congresso teria uma afinidade especial com o gabinete de Perpétua e que junto de seus assessores articulam uma forma de frear a tentativa de graduados de arrastar o PL 1645 para o plenário da Câmara de Deputados, onde os 513 deputados teriam oportunidade de discutir, opinar e votar tão importante projeto.

“Poxa… Logo com o PCdoB!”, diz um suboficial da Marinha.

Muitos graduados nas redes sociais falam em fazer campanha contra Hélio Lopes nas próximas eleições, de 2020 ou 2022. Todavia, é fato que dificilmente o parlamentar deixara de ser reeleito. Apenas 10% dos votos que recebeu nas últimas eleições bastarão para que se consagre como vitorioso e é fato que Bolsonaro deve investir novamente em sua campanha. Suas imagens estão de tal forma atreladas que uma derrota de Hélio Lopes seria também, evidentemente, perda de capital político para o próprio Jair Bolsonaro.

Robson Augusto / Jornalista, sociólogo, militar R1  – Revista Sociedade Militar

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top