Forças Armadas

URGENTE – Ataques COVARDES e CALÚNIAS contra pessoas inocentes que ousaram apontar injustiças no PL1645

Ataques GRAVES e CALÚNIAS contra pessoas inocentes que ousaram apontar injustiças no PL1645 reiniciam de forma mais agressiva

“CÓDIGO PENAL — Art. 139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.”

Nessa quarta-feira, em conseqüência da publicação de artigo que mostra que os graduados que desejam que o PL1645 seja modificado antes da aprovação estão avançando na luta, muita gente ficou sabendo que grande parte dos parlamentares já entendeu que não é justo que enquanto no Projeto de Lei em questão um general saia com um aumento de mais de 9 mil reais um sargento do quadro especial fique com pouco mais que 200 reais.

Grupos minoritários, que se beneficiam caso o projeto de lei fosse aprovado da forma em que se encontra aparentemente reiniciaram uma série de ataques contra personagens que se destacam nessa luta.

Outros problemas do PL 1645

  • Um subtenente na ATIVA, que fará os cursos-brinde, recém criados, ficará com salário bem maior do que o dos seus pares já na reserva.
  • Representar as forças armadas é algo obrigatório para todos os militares e todos podem ser punidos se não cumprirem a lei. Porém, só generais, segundo o projeto em andamento, receberão gratificação para representar as forças armadas. E – pasmem !!! – isso vale na ativa e reserva.

O PL-1645/2019 inaugura ainda uma nova forma de reajuste. O aumento disfarçado, dado em percentuais só de determinados cursos, que já vem ocorrendo e pode ser feito por cada comando sem passar pelo Congresso Nacional.

(Veja o artigo “Cheque em branco”. Exército REAJUSTA salário de oficiais por meio de PORTARIAS, sem que o CONGRESSO NACIONAL fique sabendo)

Com isso um comandante pode reajustar o salário de quem bem entender dentro de sua força, deixando principalmente os inativos com seus salários cada vez mais achatados.

O presidente da Comissão que estuda o PL1645 já admitiu que foi escolhido pelos generais. A pergunta que surge é: “generais tem esse poder todo dentro da Câmara de Deputados?”.

Outra pergunta: O fato de José Priante ter sido condecorado recentemente pelo Exército pesa para que conduza a coisa de forma parcial, a favor da defesa?

O PL-1645 – soubemos – tenta fazer por aqui o que já acontece no Chile, onde militares da reserva recebem bem menos do que seus pares na ativa. Para quem se esqueceu, o Chile é o país dos sonhos de Paulo Guedes. No Brasil existem princípios tradicionais e legais no que diz respeito ao salário dos militares, por aqui nós honramos nossa reserva e achamos injusto que o salário de pessoas maduras, muitas já idosas, seja achatado justamente no momento em que mais precisam.

Não admitimos que sejam criadas vantagens para quem está na ativa, deixando o pessoal da reserva em desvantagem. Se o Ministério da Defesa, que apresentou esse projeto elaborado durante o governo DILMA, desejasse mesmo ser justo, bastava um aumento nos soldos em percentual igual para todos os militares. isso alcançaria todos, praças e oficias, na ativa e na reserva, temporários e de carreira, na mesma medida.

Gerson Paulo se expôs. Ele é um militar da reserva que há anos vem lutando contra o politicamente correto. Recebeu Bolsonaro em reuniões onde se arquitetava a criação de um partido militar e naquela época já via o capitão como potencial presidente desse país. Esteve com Mourão no planejamento de uma candidatura conservadora para o governo do Rio de Janeiro e em outras inúmeras vezes atua junto com o vice-presidente em projetos para o crescimento do país. Ele não é o editor da Revista Sociedade Militar, mas se fosse esta estaria muito bem conduzida. Todavia, quem quiser ler um de seus artigos basta clicar em um dos links abaixo.

UMA BREVE COSMOVISÃO SOBRE A REALIDADE DO ESQUERDISMO – Gerson Paulo

O RETRATO CRIMINOSO DOS MEMBROS DO STF – Gerson PAULO

Alguns oficiais superiores que defendem o PL 1645 se aliaram à deputada do PCdoB – Perpétua Almeida – Eles enxergam no partido a única salvação para que o projeto de lei não seja corrigido de forma que atenda a todos igualmente. Eles quere que o PCdoB, junto com outros partidos de esquerda, emita uma espécie de decreto interno proibindo seus políticos de apoiar os graduados, mas até a esquerda já percebeu que no PL há muitas coisas erradas.

Quem assistiu à última audiência pela internet perceberá que o deputado Hélio Lopes se sentou ao lado da deputada Perpétua Almeida (PCdob) e com ele trocava segredos ao pé dos ouvidos. Em situações normais isso jamais aconteceria e todos ali presentes entenderam que Hélio seguiu determinações superiores, não de Bolsonaro, que jamais faria isso, mas de outras mentes que conduzem todas as suas ações na câmara dos deputados.

A luta dos graduados em nada afeta a hierarquia e a disciplina. É uma luta política, travada por eles dentro do Congresso e sem o uso de qualquer recurso público.

Nessa madrugada de quarta-feira – sempre nas madrugadas – outras pessoas, além de Gerson Paulo, foram atacadas, entre eles Ivone Luzardo e Kelma Costa. As duas senhoras, membros natos da família militar, são amigas de Bolsonaro, defendem a família tradicional e nossos bons costumes. É uma covardia que na calada da noite pessoas sem escrúpulos e que defendem vantagens diferenciadas para uns poucos em detrimento da maioria tentem manchar sua reputação.

Infelizmente o problema PL1645 está crescendo e por causa de auxiliares sem escrúpulos a massa de centenas de milhares de militares na reserva tende a ficar cada vez mais insatisfeita com esse governo e – justamente por conta da inépcia de auxiliares de Bolsonaro – pode começar a buscar outros líderes que pensam da mesma forma que eles no que diz respeito a família, economia, educação etc.

Não é uma previsão, é uma constatação.

Parabéns Gerson Paulo,  Ivone Luzardo e Kelma Costa

Revista Sociedade Militar

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top