Forças Armadas

Engatilhado – Oposição já tem o REQUERIMENTO que leva PL 1645 para discussão no Plenário da Câmara

Com 72 assinaturas o requerimento que leva o PL 1645 para o Plenário da Câmara está pronto para ser apresentado

A polêmica cresce em torno do PL 1645. Na reunião da comissão que estuda a proposta, ocorrida nessa quarta-feira, o deputado-federal Gláuber Braga apontou privilégios concedidos somente para a cúpula das Forças Armadas.  O PL1645 é mencionado pelo governo como benéfico para todos os militares, mas graduados da reserva remunerada tem circulado pelo congresso explicando a parlamentares que a coisa não é bem assim.

O governo Bolsonaro, mais uma vez, garante atendimento a quem está no topo da pirâmide e esquece, abandona, quem está na base. Isso está gerando, entre os próprios militares das mais variadas forças, uma enorme revolta…” disse Gláuber Braga.

A oposição já têm em mãos o requerimento de parlamentares que concordam que PL 1645 deve ser apreciado pelos 513 deputados da câmara e não só por uma comissão especial. O documento – elaborado por Glauber Braga e Freixo – já possui 72 assinaturas, 21 a mais do que o mínimo exigido pelo Regimento Interno para que um projeto de tramitação conclusiva seja encaminhado para o Plenário.

Alguns militares acreditam que o governo pode apresentar uma proposta de acordo, distribuindo melhor os percentuais concedidos para os adicionais relacionados aos cursos realizados durante as carreiras dos militares. Dessa forma os militares que ocupam graduações mais baixas na escala hierárquica não teriam um reajuste tão pequeno em comparação com os que ocupam o topo.

Uma mudança simples e já proposta pelas associações seria igualar o adicional de habilitação para todos os militares. Uma das emendas rejeitadas pelo relator contem a proposta de conceder-se 60% para todos os militares, de soldado a general.

já que todos nós vamos contribuir igualmente para a previdência não e justo que as chamadas compensações sejam maiores para os generais… Porque eles recebem reajustes maiores? A meritocracia já está configurada em um soldo maior para quem ocupa posto ou graduação mais alto”, Diz um sargento.

Outro ponto do Pl 1645 considerado absurdo é a concessão de uma gratificação de representação de 10% somente para generais na ativa e reserva. Toda a tropa é obrigada por lei a representar bem as forças armadas e por isso a coisa é apontada como um disparate, uma espécie de traição.

O PL até ontem tramitava de forma relativamente discreta, longe dos holofotes da grande mídia. Mas a coisa agora cresceu e com isso também cresce a possibilidade da proposta do Ministério da Defesa ser derrotada por uma mobilização organizada por suboficiais e sargentos, algo inédito e que certamente geraria uma enorme perda de capital político para o governo.

Sem conseguir a atenção de parlamentares da base aliada e do presidente da república os graduados se viram obrigados a usar as redes sociais para dar visibilidade a seu pleito. Sem qualquer quebra de hierarquia ou afronta a disciplina os suboficiais e sargentos têm alcançado êxito na sua tentativa de chamar a atenção para os problemas contidos no projeto de lei.

A base de apoio do governo na comissão especial demonstrou que não tinha conhecimento aprofundado sobre a proposta apresentada por eles próprios, a ponto de permanecerem calados, intimidados… meio que estupefatos diante da tabela que foi exibida pelo deputado Glauber Braga. O deputado general Peternelli esboçou uma reação contra as alegações da oposição, mas se engabelou com as palavras ao citar o já redundante argumento da meritocracia. 

Leia: Pl-1645 — Documento que alega SUSPEIÇÃO do RELATOR pode causar reviravolta na tramitação da REESTRUTURAÇÃO dos Militares.

Revista Sociedade Militar

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top