Forças Armadas

General peita suboficial e Rodrigo MAIA recebeu os graduados. Veja o que ainda deve acontecer

Por mais duro que seja, esse que vos fala, diante das informações que possui, tem que dar aos leitores um panorama o mais aproximado possível da realidade sobre o que pode acontecer daqui pra frente no que diz respeito ao PL1645/2019

Hoje na comissão

A votação do pedido do governo para cancelar as discussões, logo no início da reunião dessa terça-feira, nos dá uma prévia de como deve ser a votação do relatório de Vinicius de Carvalho. O governo deve vencer, deve conseguir por volta de 29 votos a favor, a depender do quorum.

Em sua fala, o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ), ao sugerir mudanças que atendam às reivindicações doa graduados, chegou a dizer que o PL foi imposto ao presidente da república. ” Para… Corrigir um erro que foi imposto ao presidente da republica… a proposta consegue dividir as forças armadas...”, disse o parlamentar.

Sobre o Plenário

Caso seja aprovado o PL1645, na comissão há um prazo de 5 seções para apresentação de relatório solicitando apreciação pelo Plenário da casa. A coisa não é automática e não depende só do requerimento com as assinaturas. O próprio plenário será consultado e a depender da aprovação ou não do requerimento é que a coisa passa a ser apreciada pelos 513 deputados, de forma mais ampla.

A deputada Celina Leão, é uma das que acha que se a discussão for para o plenário poderá haver muitas pressões externas justamente porque a sociedade não entende muito bem o significado de vários termos militares. “Uns com 70% de gratificação e outros com 6%” disse a deputada logo a após a seção ser interrompida.

General peita suboficial

Um suboficial muito ativo na articulação por mudanças no PL1645 denunciou que foi abordado de forma grosseira nessa tarde de terça-feira por um deputado-general. O general, com base eleitoral no nordeste, de forma truculenta teria acusado o suboficial de se relacionar com a esquerda. O suboficial não fez por menos e perguntou porque o Ministério da Defesa – chefiado por generais – proporciona almoços grátis para o partido dos trabalhadores e se isso não seria uma traição para com Bolsonaro e sua base eleitoral.

Acordo com Rodrigo Maia

Os graduados foram recebidos por Rodrigo Maia. Cibele, Luzardo, Adão Farias e outros representantes explicaram para o presidente da câmara os problemas existentes no projeto de lei, mas antes dos graduados entraram no gabinete de Maia o Ministro da Defesa, o relator do projeto e outros generais. Os graduados informam que MAIA procurou não dar pistas sobre seu posicionamento futuro, disse apenas que quando a coisa estiver no plenário as contas serão refeitas. Alguns que participaram da reunião acreditam que no momento a posição do presidente da câmara tende para o lado do governo.

Graduados ressaltam ainda que desde o início dessa guerra em nenhum momento a DEFESA se mostrou disposta a debater com eles as questões colocadas sobre o PL1645/2019.

No SENADO

Indo para o Plenário ou não, modificado ou não,  é certo que o PL1645 chegará um dia no SENADO. Kelma Costa já adiantou para a Revista Sociedade Militar que nos próximos dias estará com o senador IZALCI para conversar sobre o assunto. O parlamentar já deu sinais de que pode abraçar a tese dos graduados de que o projeto de lei precisa ser melhorado em alguns pontos. 

Revista Sociedade Militar

VEJA: Deputados do PSOL admitem que querem dialogar com BASES DE BOLSONARO.

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top