Forças Armadas

Moro pede filmes sobre a campanha da FEB na 2ª Guerra. Neta do militar diz que ele “era contra tudo o que Moro representa e morreu defendendo Lula livre”

Em postagem nas suas redes sociais o atual ministro da justiça Sérgio Moro comenta o falecimento do coronel Antônio Alexandrino Correia Lima.
“Meus respeitos igualmente.A história da FEB é infelizmente insuficientemente valorizada no Brasil.Isso é algo que tem que mudar.Não podemos esquecer o esforço brasileiro contra o nazi-fascismo e os sacrifícios dos combatentes.Por favor, mais livros e filmes sobre isso, no mínimo.”, disse o ex-juiz.

Artigo publicado pela 10ªRM

10ª REGIÃO MILITAR DESPEDE-SE DE HERÓI DE GUERRA, COMBATENTE DA FORÇA EXPEDICIONÁRIA BRASILEIRA

Fortaleza (CE) – Faleceu, no dia 3 de janeiro, na capital cearense, o Coronel Antônio Alexandrino Correia Lima. Ele tinha 101 anos de idade e foi combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB) durante a 2ª Guerra Mundial. O militar da reserva era cearense e participou de combates contra tropas nazi-fascistas na Itália. Natural de Tauá (CE), onde nasceu em 4 de agosto de 1918, o Coronel Alexandrino era casado com a senhora Maria Consolação, que morreu em maio do ano passado. Ele deixa 11 filhos, 27 netos e 15 bisnetos.

A 10ª Região Militar prestou as honras militares e as justas homenagens, com as presenças de seu Comandante, General de Divisão Fernando José Soares da Cunha Mattos, e do Comandante Militar do Nordeste, General de Exército Marco Antonio Freire Gomes.

POLÊMICA

A postagem de Sérgio Moro despertou certa polêmica. A neta do militar falecido – Renata Gomes – declarou em redes sociais que o seu avô era taxativamente contra o juiz e o que ele tem feito e postou uma imagem do avô defendendo a eleição de Haddad.

” Por que a citação do nome de seu avô por Sergio Moro a incomodou? Porque meu avô lutou sua vida inteira, até o fim, contra tudo o que Moro representa hoje, como um juiz que usurpou e ainda usurpa o estado democrático de direito, transformando a luta necessária e urgente contra a corrupção numa cruzada política seletiva, que visava exclusivamente a destruição de Lula e do PT, para favorecer um lado, o qual, como se viu, lhe retribuiu com vantagens. Meu avô sempre foi um legalista, sempre defendeu a Constituição, inclusive durante a ditadura, por isso, repudiava quais afrontas à democracia. Morreu lúcido e convicto de seus valores.” Extrato de Diário do Centro do Mundo

https://www.sociedademilitar.com.br/.

Revista Sociedade Militar

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top