fbpx
Forças Armadas

Coronel do Exército pode ser o novo Ministro da Educação

Embora ninguém do governo queira admitir, está mais que obvio que a chamada ala ideológica – ou olavista – está aos poucos sendo colocada de lado. Sob a batuta de Braga Netto o Palácio do Planalto está tornando cada vez mais pragmático. As ações são focadas na busca de resultados.

O coronel GOBBO, possível Ministro da Educação, é oficial do Exército na reserva. É – obviamente – uma escolha da ala militar. Mas, o discurso vendido será algo bem estratégico e pacificador. “… uma escolha que agrada os dois lados, é bem politizado etc.” De fato, o oficial não deixa a desejar em questões ideológicas e fala com muita propriedade sobre as artimanhas da esquerda para desmoralizar as Forças Armadas e transformar o Brasil em terra arrasada.

“… dentro da filosofia granscista de sufocar e desmoralizar as forças armadas, a classe militar vem sofrendo com salários aviltantes…o mal estar entre as fileiras atende aos interesses dos terroristas de plantão…”, disse em um discurso dirigido aos membros do Clube Militar

Gobbo é graduado em Material Bélico pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), também é formado em Engenharia Química pelo IME, pós-graduado em Economia pela Fundação Getúlio Vargas, mestre em Engenharia Mecânica pela Universidade, e doutor em Engenharia Aeroespacial pela Universidade de Poitiers, na França.

Maria da Foice” – Caminhando para o COMUNISMO

Em um texto publicado em 2014 o oficial comenta um evento ocorrido na OAB onde se entoou o hino da Internacional Socialista

Sob a presidência da indigna ministra Maria do Rosário, no dia 11 de fevereiro reuniu-se na sede da OAB-RJ um grupo bizarro de personagens.

O Sr. Wadih Damous, presidente da OAB/RJ, infiel ao Compromisso do Advogado, que ele deve ter proferido algum dia em sua vida, quando prometeu defender a ordem jurídica do Estado Democrático.

O Sr. Leonardo Boff, infiel aos votos que proferiu ao se sagrar Sacerdote Católico.A Sra. Maria Thereza Goulart, a única exceção no grupo, por sua reconhecida fidelidade conjugal ao falecido ex-Presidente João Goulart.

E a Sra. Maria do Rosário, infiel às obrigações de uma ministra de um regime livre e supostamente democrático e mais infiel ainda a seu nome. Devia chamar-se Maria da Foice ou Maria do Martelo. Nunca Maria do Rosário. O Rosário é o símbolo do amor cristão e não condiz com uma criatura que dedica sua vida a uma ideologia cujo escopo é espalhar o ódio entre os homens. Não condiz com aqueles punhos cerrados e aquelas fisionomias raivosas.

Mas essa senhora prestou involuntariamente um grande serviço à Nação brasileira. Transformou essa reunião em uma cerimônia comunista em que o Hino Nacional Brasileiro foi substituído pela internacional comunista.

Com isso ela deixou absolutamente claro para todo o povo brasileiro e para todos os demais países com quem o Brasil tem relações, aquilo que a maioria de nós já sabia, ou seja, que o grupo que nos governa écomunista, que eles farão tudo a seu alcance, contando com todo o esforço do foro de São Paulo, para transformar o Brasil em um país comunista.

Gente do povo, sacerdotes, militares, profissionais liberais, políticos, ricos, pobres, empresários, empregados, brancos, negros, índios, gregos, troianos, todos enfim: ninguém mais tem o direito de ter qualquer resquício de dúvida. O Brasil está sendo conduzido para o comunismo. Ninguém tem mais o direito de dizer que não sabia. Nenhum cidadão de bem pode se recusar a lutar contra esse estado de coisas.

O governo que aí está não merece nossa lealdade. Ele foi eleito por ter jurado restaurar a moralidade no país, para acabar com a corrupção, para aprimorar nossa democracia, ainda jovem e frágil, para conduzir nossa economia dentro da ortodoxia do livre mercado, para respeitar e aprimorar nossas conquistas econômicas, principalmente na luta contra a inflação, para semear a fraternidade e a união em nossa riquíssima diversidade racial, para diminuir a desigualdade econômica da sociedade e, acima de tudo, para respeitar os princípios basilares de nossas tradições judaico-cristãs.

Ele está fazendo exatamente o contrário de tudo isso, nos conduzindo rumo ao abismo do comunismo cubano conforme, finalmente, explicitamente demonstrado por um de seus ministros.

Quem tiver uma nesga de patriotismo, quem quiser a Pátria livre, quem quiser legar essa liberdade para seus descendentes, quem quiser cumprir com seu dever de brasileiro e cristão, que inicie já sua luta contra esse governo. Faça como nós, do Grupo Monte Castelo: use as armas ao seu alcance, mas LUTE!

Quando se candidatou para a presidência do Clube Militar em 2014 o oficial demonstrou que acredita que as entidades que agregam militares em uma situação extra-caserna devem ser politizadas e tentar influir politicamente. Sua proposta não agradou a maior parte da oficialidade, eles queriam um clube que fosse mais clube recreativo que instância para discussão política.

Sobre o CLUBE MILITAR ele disse na época

“… É absolutamente indispensável que, no campo político, o Clube Militar reconsidere sua posição e se consagre decididamente à luta contra esse estado de coisas. A Diretoria que deve ser eleita neste ano tem que estar completamente consciente dessa necessidade, inteiramente ciente das responsabilidades e dos esforços implicados nessa decisão e perfeitamente preparada e competente para assumi-los. Os Comandantes das Forças Singulares estão exilados do poder. Cabe ao Clube Militar preencher esse vácuo e, no que estiver ao seu alcance, fazer aquilo que está fora do alcance deles. Deve combater e derrotar os esforços para desprestigiar as FFAA, como a comissão da calúnia, o acordo de solução amistosa, a revirada dos mortos em seus túmulos, a troca de nomes honrados e veneráveis por outros salpicados da lama da  traição à Pátria”.

No seu programa de ação para o CM Gobbo dizia

“Nosso propósito é transformar o Clube em um verdadeiro porta-voz dos militares, de terra, mar e ar, tornando nossas sedes de lazer cada vez mais agradáveis para frequentar e recolocando o Clube na posição de poderoso protagonista da vida política nacional...  o Clube Militar tem que ter condições para mostrar claramente à sociedade brasileira, em particular à nossa juventude, os perigos embutidos no canto de sereia desses arautos do apocalipse”.

Robson Augusto – Cientista Social – Militar R1 Revista Sociedade Militar

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top