fbpx
Forças Armadas / Polícia

Polêmica em torno do pagamento dos 28% para os militares. As duas principais ativistas de associações de militares do Brasil se envolvem em polêmica.

Compartilhe

kelmaeluzardoPolêmica em torno do pagamento dos 28.86% para os militares. Luzardo emite nota desmentindo declarações de Kelma Costa e jornal O DIA teve que publicar a resposta.

Ainda que o pagamento da tão sonhada diferença dos 28.86% não configure reajuste de salário e seja apenas uma pequena diferença a ser creditada, possivelmente em suaves prestações, o assunto está dando pano pra manga. Ainda entes das eleições o tema foi bastante recorrente, mencionado por representantes dos militares, junto com a questão da revisão da conhecida MP2215. Muita gente dizia que era “fogo de palha”, e somente um subterfúgio para os candidatos aparecerem na mídia. Nenhum deles foi eleito. Mas, mesmo depois das eleições eles permaneceram negociando, parece que o negócio rendeu frutos e ficou bastante evidente que sua atuação não era apenas eleitoreira.

Ha poucos dias o jornal carioca – O DIA – publicou nota dizendo que Kelma Costa teria afirmado que foi a principal negociadora da questão dos 28.86%. (http://odia.ig.com.br/noticia/economia/2015-01-03/forca-militar-adendo-preve-verba-para-comecar-a-pagar-divida-aos-militares.html ). A nota foi comentada e replicada por sites que tratam de questões relacionadas aos militares, como Montedo.com e AperoladoMamoré.net, onde podemos ainda encontrá-la. Veja abaixo, extraído do site montedo.blogspot.com .

A polêmica surgiu em torno da parte que diz que K.Costa foi a principal “negociadora”. Ivone Luzardo repudia essa afirmativa. Ela diz que a conquista foi fruto do trabalho de varias pessoas, entre elas estão políticos e representantes de associações de militares:

2_No-00

Veja a nota de O DIA.

Força Militar: Adendo prevê verba para começar a pagar dívida aos militares. Rio – Mofando nas gavetas da Secretaria Executiva do Ministério do Planejamento desde fevereiro de 2013, a proposta de pagamento da dívida dos 28,86% aos militares das Forças Armadas ganhou um baita empurrão no apagar das luzes do ano legislativo do Congresso Nacional. Adendo do deputado tucano reeleito Izalci Lucas Ferreira (DF) à Lei Orçamentária reserva R$ 20 milhões para o pagamento da dívida ser iniciado este ano.  O adendo foi negociado pessoalmente pela presidenta da União Nacional de Familiares de Militares das Forças Armadas e Auxiliares, a esposa de sargento do Exército Kelma Costa. Com assinatura do senador Romero Juca (PMDB-RR), a verba está na Lei no Artigo 18, Letra N… 

Agora, com a rubrica do Orçamento da União, pode-se pedir a complementação e iniciar a discussão do pagamento em parcelas ou alguma coisa assim”, informou Kelma Costa à coluna. “Era necessário aprovar para realmente começar as negociações. É mais um passo para conquistar o direito dos militares referente a esta dívida reconhecida pela Justiça que o governo tem com a família militar. Foi um avanço”, completou a presidenta.

Vejam a nota de Ivone Luzardo. Depois retornamos.

 … em respeito ao trabalho realizado pela UNEMFA com o apoio e parceria das Associações de Militares de Brasília e do Rio de Janeiro, apresento a todos os meus amigos do Facebook, bem como aos militares e familiares e a quem interessar meu repúdio à entrevista da senhora Kelma Costa publicada no Jornal O Dia por não conter a verdade. O referido jornal cita que, segundo a senhora kelma Costa, “O adendo foi negociado pessoalmente pela presidenta da União Nacional de Familiares de Militares das Forças Armadas e Auxiliares, a esposa de sargento do Exército Kelma Costa.” Essa declaração da senhora Kelma Costa não é verdadeira, pois esse adendo é obra do trabalho do Deputado Izalci Lucas/PSDB/DF com o apoio da UNEMFA e parceria das Associações de Brasília e do Rio de Janeiro ao nosso trabalho. Desde 2010, quando tomamos conhecimento desse fato, empreendemos ações junto ao Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão onde o processo sob número 03000.004832/2009-30 encontrava-se engavetado.

SnapCrab_NoName_2015-1-9_17-28-24_No-00 Publico este Ato de Repúdio para honrar o trabalho sério de pessoas comprometidas com a causa, que voluntariamente abraçamos, cujo único interesse é a busca dos resultados para garantir uma melhor qualidade de vida aos familiares de militares promovendo dessa forma o respeito e a valorização profissional dessa categoria tão aviltada em seus direitos. Para a senhora Kelma Costa, peço ética, retratação e respeito ao trabalho dos outros. Peço que pare de se apropriar do que não fez para ganhar fama e atingir seu objetivo pessoal. Nossa causa é coletiva e deve ser tratada como tal. Ao Jornal O Dia, peço que tome conhecimento e providências… A todos a minha gratidão por lerem esse Ato de Repúdio e, tomando conhecimento, tirarem suas conclusões finais.

Para a senhora Kelma Costa, peço ética, retratação e respeito ao trabalho dos outros. Peço que pare de se apropriar do que não fez para ganhar fama e atingir seu objetivo pessoal. Nossa causa é coletiva e deve ser tratada como tal. Ao Jornal O Dia, peço que tome conhecimento e providências. A todos a minha gratidão por lerem esse Ato de Repúdio e, tomando conhecimento, tirarem suas conclusões finais.

Respeitosamente, Ivone Luzardo – Presidente da UNEMFA NACIONAL.

Voltamos.

O jornal o DIA retirou o artigo que mencionava Kelma Costa e hoje (09/01/2015) as 16:55 novamente o disponibilizou, desta vez acrescido da nota de repúdio emitida por Ivone Luzardo.

A íntegra da nota de LUZARDO esta AQUI. https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=937410392960486&id=100000746027591

Em uma das páginas freqüentadas por Kelma Costa, Família Militar Nacional – Juntos somos fortes, foi postado um vídeo em que o próprio Deputado Izalci manda um recado para Kelma Costa, informando as boas notícias sobre a questão dos 28,86%. Veja abaixo.

Toda a família militar percebeu claramente que a vitória obtida foi uma conquista coletiva, principalmente pela luta do pessoal da reserva e familiares de militares. Espera-se que as decisões não venham a ser revertidas, nesse país em que tudo acontece a qualquer momento podem surgis MPs e decretos revogando qualquer coisa, endossados pelo legislativo, que “come nas mãos” do executivo.

Correndo o risco de omitir alguém, percebemos ao longo das negociações sobre a reposição dos 28,86% e MP2215/2001 a presença de muita gente que hoje se destaca como guerreiros da causa militar. Citamos: senhor Sargento Genivaldo, Ivone Luzardo, Mirian Stein, Kelma Costa, Izalci, Paulo Paim, Pimenta e outros que estiveram e estão ainda presentes nos plenários e salas de reunião do legislativo federal, engrossando o número daqueles que lutam por melhores condições.

Como já dissemos, a diferença dos 28.86% é um direito, e deve ser pago. Mas pouco representa de melhorias para a atual condição da família militar. Muitos militares já ganharam na justiça e receberam. Observamos a maior parte dos pagamentos foi na faixa de R$ 2 mil.

Infelizmente nas eleições passadas a família militar nacional perdeu a oportunidade de eleger representantes. Havia bons candidatos e talvez tenha faltado estratégia e investimento para que pelo menos um fosse eleito em cada unidade da federação onde ha grandes efetivos. Uma frase que deve ser sempre lembrada em momentos de crise é: Juntos somos mais fortes.

Robson A.D. Silva – Revista Sociedade Militar.

Compartilhe

Mais acessados da semana

To Top