Forças Armadas

É possível um Atentado na posse de JAIR BOLSONARO? Perguntas respondidas

É possível um atentado com drones contra JAIR BOLSONARO?

Seguindo nossa prática de sempre que possível responder aos questionamentos dos leitores da Revista Sociedade Militar responderemos hoje à questão colocada por Junior Souza: É possível um atentado com drones contra JAIR BOLSONARO, como seria, como impedir?

Resposta: É improvável. Todavia, quando se trata de segurança se autoridades todas as hipóteses são levadas em consideração.

O próprio General Augusto HELENO fez declarações sobre a descoberta de atentados planejados contra Jair Bolsonaro. A princípio o general disse que em tempo tudo chegaria ao conhecimento do público. Mas, até o momento nada foi revelado, nomes, organizações, financiadores, nada chegou até o público comum. Entre militares e círculos ligados a inteligência e segurança pública um dos assuntos mais comentados é a necessidade de não se “abrir a guarda”, que significa na caserna, a não relaxar na medida em que as coisas aparentemente ficam mais tranquilas.

Essa semana o presidente eleito disse que a escolha do ministro do meio ambiente é responsabilidade sua e somente sua, deixando claro que não levará em conta a choradeira dos ambientalistas. Bolsonaro chegou a dizer que muitos ambientalistas sequer sabem o que é trabalho. Bolsonaro também estimulou alunos a filmarem as aulas ministradas por professores manipuladores e que tentam cooptar alunos para seus partidos e militância ideológica. Bolsonaro continua fazendo declarações francas, mas por muitos consideradas como ameaçadoras, o que deixa militares e policiais encarregados de sua segurança cada vez mais em estado de alerta.

Aparentemente com o intuito de fazer crescer o ódio contra Bolsonaro as lideranças de esquerda continuam disseminando notícias falsas e tentando fazer crescer o numero de pessoas que acreditam que após assumir a presidência do Brasil o capitão BOLSONARO iniciará perseguições contra homossexuais, contra mulheres, que destruirá a amazônia e que será uma ameaça contra países fronteiriços etc. Isso tem potencial de fazer surgir outro idiota útil que atente contra a vida de Jair Bolsonaro acreditando que está livrando o planeta de um grande monstro. Acreditamos que declarações mentirosas tem que ser avaliadas com rigor se não se tratam de incitação ao crime disfarçadas de entrevistas ou artigos em jornais.

A posse se aproxima, é um momento em que dificilmente a segurança conseguirá impedir o novo presidente de se aproximar de seu eleitorado. Ele tem se mostrado grato pela escolha e não reluta em sair dos automóveis blindados, se aproximando perigosamente do público.

Outro local importante, bastante sensível e a considerar quando se pensa na segurança do presidente eleito é sua própria residência na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.  O endereço de BOLSONARO, dentro do condomínio Vivendas da Barra, hoje é um dos mais conhecidos do país.

Os DRONES

Durante um evento militar em 4 de agosto de 2018, o presidente venezuelano Nicolás Maduro teria chegado muito perto de ser assassinado por uma dupla de drones. Nicolás Maduro escapou sem ferimentos mas o suposto ataque feriu sete militares. Utilizamos a palavra suposto porque o DRONE explodiu bastante longe do presidente, que discursava. O equipamento utilizado é de fácil controle e caso houvesse um operador realmente disposto a usá-lo contra o presidente dificilmente erraria o alvo. O governo venezuelano prendeu seis pessoas acusando-as do atentado mas até hoje pouco se sabe sobre elas.

O tipo de equipamento utilizado no suposto atentado contra Nicolás MADURO foi o modelo DJI M600, que pode ser adquirido no Brasil por pouco mais de 35 mil reais.  O M600 pode transportar com agilidade até 6 quilos de material e tem um alcance de cerca de 5 quilômetros. Um dos drones teria explodido ainda no alto e outro após uma queda ao lado de um prédio residencial nas proximidades.

No que diz respeito ao presidente eleito no Brasil, leva-se sempre em consideração que a coisa pode ultrapassar esse nível amadorístico, de pouco investimento e com base em drones adquiridos pela internet ou no Paraguai.

Jair Bolsonaro é um risco a um grande projeto montado para toda a América latina. Bolsonaro declara que pretende interromper os planos da intelligentsia da esquerda internacional que tem como líderes Lula, Nicolas Maduro, Raul Castro e conta com a simpatia de líderes terroristas internacionais, como e o caso do italiano Cezare Battisti. A queda da esquerda no BRASIL causará uma interrupção no envio de recursos financeiros para países como Cuba e Venezuela que pode ultrapassar a casa de centenas de milhões de dólares.

Na medida em que a guinada para a direita feita pelo Brasil pode significar a médio prazo a falência do projeto revolucionário na América Latina, um “investimento” de 10 ou 20 milhões de dólares na aquisição de equipamentos que podem ser operados a dezenas de quilômetros para por termo ao “risco Bolsonaro” não deve ser descartado da lista de itens a verificar.

Abu Dhabi – Drones

Pouco se comenta no meio civil, mas muito recentemente ocorreu um ataque com uso de drones no aeroporto internacional de Abu Dhabi, executado pelos rebeldes do Houthi no Iêmen. Os drones Sammad-3 foram controlados através de incríveis 1.500 quilômetros do espaço aéreo da Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos sem ser detectados até que chegaram ao aeroporto de Abu Dhabi. Há de se destacar aqui que os árabes tem uma preocupação extrema com seu espaço aéreo, que é monitorado de forma rigorosa. Dois meses antes do ataque a Abu Dhabi um drone do mesmo tipo foi interceptado dentro da Arábia Saudita (veja aqui).

O Iêmen aparentemente tem servido como um campo de testas para novas armas desenvolvidas pelo Irã.

Imagine um drone lançado há 1.500 quilômetros da nossa capital federal. Talvez de outro país. Imagine que ele voe a baixa altitude e que nas proximidades de Brasília exista uma Control Station oculta, que o guie por um corredor a baixa altitude e sobre áreas densamente povoadas com intenção de dificultar o abate.

Residência de BOLSONARO

Infelizmente no Brasil a tentativa de assassinato de políticos há muito ultrapassou a barreira da ficção e muito recentemente nos tornamos notícia quando todo o planeta testemunhou o atentado contra Jair Bolsonaro. Enquanto todos o staff se preocupava com uma arma curta ou com um atirador de elite, um indivíduo utilizou um método considerado arcaico, uma faca.

O espaço aéreo e inclusive em relação ao voo de drones já deveria estar bloqueado na região do condomínio Vivendas da Barra, onde reside o presidente eleito. (… … … … … … … … … … … … … … … … … … … … … … .. … .. … … … … … … Trecho com detalhes técnicos considerado inapropriado, retirado a pedido da editoria) Um drone equipado com alguns quilos de explosivo plástico pode realizar um grande estrago. Lembrando aqui que há equipamentos vendidos pela internet, como o já citado, M600, que transportam até 6 quilos de material. O hamas contava com um engenheiro (recentemente assassinado) que trabalhava no desenvolvimento de drones de ataque e o grupo já tem utilizado drones pequenos para transportar explosivos e realizar ataques de curto alcance contra os israelenses.

(… … … … … … … … … … … … … … … … … … … … … … .. … .. … … … … … … Trecho com detalhes técnicos considerado inapropriado, retirado a pedido da editoria)

Equipamentos profissionais

Uma grande preocupação hoje em dia são os drones iranianos, como o Shahed 129, que como o Sammad 3, usado pelos Ienemitas, tem um alcance de mais de 1.000 quilômetros e capacidade para dezenas de quilos de explosivos ou outras armas. É impossível saber ao certo quantos foram construídos e para onde foram exportados. Todos nos lembramos que há aluns poucos anos uma embarcação com armamento foi apreendida quando se dirigia para Cuba.

Nas próximas semanas todas as hipóteses tem que ser consideradas, incluindo o hoje chamado terrorismo remoto, do qual falamos aqui e que é agravado pelo relativo anonimato que os atores desfrutam e a facilidade na aquisição dos equipamentos de ponta.

É preciso aqui mencionar que, levando-se em consideração que o vice-presidente eleito também é um militar e conservador, os momentos em que presidente e vice estarão juntos em público tem que ser restringidos ao máximo.

IACIT bloqueador de DRONES – Tecnologia brasileira – http://www.iacit.com.br

O serviço da equipe de segurança de JB não se restringe àqueles que todos vemos ao seu redor. Há uma grande equipe nos bastidores, que se adianta em vários pontos tentando prever possíveis ameaças.

Um drone previamente programado com coordenadas geográficas funciona na verdade como um míssil, e pode não ser afetado pelas contramedidas eletrônicas mais comuns, a  não ser que entre elas esteja incluído a interferência no sinal GPS. As forças armadas possuem JAMMERS, que são equipamentos para interferir na operação dos drones, para impedir o uso de celulares e até para impedir o acionamento remoto de explosivos na região em que desejar. Contudo, a não ser que existam evidências concretas de um atentado, dificilmente o aparelho será utilizado dada a interferência em vários equipamentos na região.

 Revista Sociedade Militar – Artigo de colaborador militar / Todos direitos reservados

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Mais acessados da semana

To Top